Sem dúvida Phi Phi é o ponto alto da viagem. Muitas pessoas ficam na dúvida se devem ou não se hospedar lá, mas eu com certeza recomendo. Porque eu amo ficar em ilhas, porque eu amo andar descalça, porque eu amo conhecer o lugar quase todo em uma corrida de 6 Km. E foi o que fizemos assim que chegamos neste paraíso. Colocamos logo o tênis e fomos pra rua, que delicia de corrida.

 

As ruelas são cheias de lojinhas, restaurantes, agências de passeio e mergulhos. Já fomos parando em algumas delas para fazer orçamentos e levar tudo pronto para nossa galera decidir. O importante destas viagens de poucos dias, se você já não sai com tudo resolvido daqui, é logo no primeiro dia saber todas as suas opções e não perder tempo. Mapeie o que você tem vontade de fazer, veja preços e já marca logo para o dia seguinte. Acabamos não marcando mergulho em Phi Phi e ficamos sem mergulhar.

 

 

Mas estávamos mesmo precisando de um dia inteiro na praia, sem nada para fazer e foi mais ou menos o que fizemos no dia seguinte, primeiro em Phi Phi. O restaurante do primeiro dia foi o Le grand Blue. Uma comida Thailandesa deliciosa, com opções internacionais. Clima agradável e preço super razoável. O cheiro de esgoto que rola nas ruelas é algo que você tem que relevar. Se ver também um ratinho ou barata passeando por lá, não se assuste. Foca no positivo !!

 

 

Ficamos no hotel Clif Beach. Não é tão fácil encontrar boas opções em Phi Phi, mas amamos muito nossa escolha. Uma vista linda, no canto do morro. Um pouco longe da bagunça, mas excelente para descansar melhor. Se quiser ficar no centrinho da confusão, não fique neste hotel. Tudo lá é perto, mas se quiser mais agito, escolha um hotel na outra praia, bem no centro. Basicamente Phi Phi tem 2 praias, esta onde chegam a maioria dos barcos e onde fica o pier e a oposta (que é bem mais linda).

 

 

Passamos o dia com vários tons de azul nesta praia oposta. Ficamos em frente a um hotel que tem Pool Party todas as sextas. Pela manhã pegamos um caiaque e adentramos o mar. Foi lindo, lindo e gostoso, mas acabamos indo para o lado errado. Se tivermos ido para o lado esquerdo da costa, iríamos chegar em uma das praias que é a mais bonita da Região, Monkey Beach. Então, se tem um dia livre e tempo na praia, pega o caiaque e vá para o canto esquerdo. É maravilhosooooooo

 

 

Aproveitamos o bar da praia, que tem porções de camarão deliciosas por R$ 15,00 e tomamos uns drinks. A pool party já estava pegando, mas preferimos pegar um Long Tail para ver o pôr do sol. MEU DEUS !! Foi lindooo e muitooo divertido. Realmente a ilha é linda, mas nada melhor do que ficar no mar. Já sabíamos que o pôr do sol era incrível visto do mar e para lá fomos. O barco custou 3000 baths para 10 pessoas para ficarmos umas 4 horas. Acredito que é possível fechar mais barato. Ideal é não falar quantas pessoas são antes de fechar, pois quanto mais pessoas, mais caro eles colocam. Fechamos este dia com chave de ouro, tomando uma cervejinha na vista de Maya Bay e um pôr do sol inesquecível.

 

 

A balada desta noite foi a mais TOP dos últimos tempos. Saímos para jantar e chegamos na praia umas 22:00. Não sei se acontece apenas nos finais de semana, poruque era sexta, mas não perca esta oportnidade. A festa é super exótica, vários bares com músicas diferentes, eletrônico, Rap, variadas. Vá direto pintar o rosto ou todo o corpo de preferir por apenas 150 baths. Todos os bares tem Luz neon e eles são mesmo artistas nas pinturas. Pirofagia o tempo todo, dança da cordinha com fogo, muitos jovens, vários países e culturas diferentes, cardápio de loucuras...tudo bem diferente e muito interessante. Nos divertimos bastante até umas 02:00. A festa não dura muito mais que isso. Imperdível !!

 

 

 

O nascer do sol no hotel Phi Phi Clif Beach vale super a pena. Acordamos muito cedo no dia seguinte para fazer o passeio das ilhas completo e aproveitamos para meditar nesta Luz maravilhosa. Alugamos um speed boat para fazer este passeio (Bamboo, Mosquito, Maya Bay e as outras) e saímos bem cedo, as 08:00. Não é muito barato o Speed boat, mas 12.000 Baths para 10 pessoas ficou bom. Eles dão um cooler com gelo, refri, água e ainda servem almoço em uma das ilhas. Foi um dia incrível, passeio imperdível. Claro que fica muito cheio, por isso é bom chegar cedo em Maya Bay para tirar aquelas fotos lindas. A cor da água impressionante, o passeio o melhor da viagem...da vontade de não acabar nunca. Nosso piloto era bem doidão e ofereceu tudo pra nós. Compramos algumas cervejas, Gym, Champagne e petiscos. Nos divertimos a valer, foi delicioso, que turma boa !!

 

Tem um passeio que dorme no barco vendo Maya Bay e ainda nada com os plânctons que brilham a noite. Queria muito ter felito isso, mas neste tipo de viagem, temos que fazer algumas escolhas.

 

 

O snorkel também é delicioso, cheio de peixinhos. Vale a pena sair da preguiça e cair na água quente, cristalina. Eu que amo muitooooooo mergulhar e me sentir um peixe, delirei !!

 

 

Na volta, fomos fazer massagem com peixes. Eu estava louca para ter esta experiência e foi mesmo muito legal, vou fazer um post só sobre isso para vocês saberem os benefícios.

 

 

Se quer mesmo massagem corporal, aproveite para se deitar nos gazebos deliciosos de massagem thailandesa. Você paga 200 baths (R$ 20,00) para uma massagem completa com óleo e sai bem relaxado mesmo. Amei a masssagem thailandesa, amei a técnica e também vou fazer um post só sobre isso em breve.

 

Gostou de Phi Phi pelos meus olhos? Quer saber alguma coisa com mais detalhes que eu não passei !? Deixe aqui nos comentários e até breve !!




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*





Começamos a viagem por Bangkok para sentir o clima urbano da Thailândia logo em um primeiro momento e não ter um choque tão grande de culturas e principalmente, comidas !! Brincadeiras a parte, todos da viagem passaram mal com algum "tempero" em algum momento, faz parte. Cuide-se muuiitooo, muito bem, não tome nenhum drink ou suco com a água deles ou experimente tudo que a Thailândia pode te proporcionar e depois arque com as consequências estomacais. Foi isso que eu preferi fazer e experimentei de tudooooo.

 

 

A escolha do hotel foi excelente. O Ibis Riverside tem excelente localização e uma piscina de frente para o Rio. Claro que não temos tanto tempo de ficar no hotel em uma viagem como estas, mas vale a pena esta refrescada depois de um dia inteiro suando para conhecer os templos. Amamos o hotel, custo benefício excelente, uma massagem deliciosa com a vista do rio e toda a estrutura necessária e básica para rodar a cidade. Eu fiz uma massagem deliciosa no Hotel. Cara pela qualidade, mas foi muito gostosa. 

 

 

Logo no dia da chegada, fomos para o Sala Rooftop, um restaurante delicioso thailandes. Já começamos pelo camarão e tartar e o prato principal também estava delicioso. Uma vista linda de um templo do outro lado do rio, pegamos uma mesa próxima ao vidro. O restaurante está reformando o deck, mas mesmo assim foi lindo. Depois do jantar, subimos para tomar um drink no Rooftop e a vista é inacreditável. Dá para ver muitos lindos templos iluminados e já sentir que estamos nesta cidade mágica.

 

Eu e meu marido amamos muito conhecer a cidade correndo e foi o que fizemos logo no dia seguinte quando acordamos. Confesso que a corrida não foi das mais bonitas não, pois o hotel fica em uma avenida movimentada. A poluição da cidade também é alta, então, confesso que preferia uma mata verde e fresca. Mas foi bom para conhecer os arredores e a vibe.

 

Eles adoram muito fazer comidas nas ruas. Você encontra frutas, frango frito e o que mais quiser para um delicioso café da manhã. Confesso que este tipo de comida não arriscamos, pois não tem uma cara muito bonita.

 

 

Pegamos um Uber com mais um casal para Ayutthaya e valew dimais a viagem. A maioria dos templos são ruínas e para falar a verdade, não sei muito a história deles. Não amo muito história e confesso que não me apego tanto. Gosto de sentir a vibração e ver a beleza dos lugares, as vezes pesquiso um pouco o que aconteceu ali e assim sou muito feliz. Se você quiser entender o que aconteceu em cada um deles, tem muitos blogs excelentes que contam em detalhes. Aqui, você só vai saber como foi a experiência no meu ponto de vista...linda !!!

 

 

É um dia cansativo e estava muito calor. Vá de tênis para seu pé não sofrer. Depois do terceiro templo, todos já queríamos sentar e descansar um pouco no ar fresco. Mantivemos firmes nas visitas, primeiras fotos da viagem e caminhada e depois entregamos os pontos. Estes são os templos que visitamos lá !!

 

Templos:
Wat Yai Chai Mongkol
Wat Mahathat
Viharn Phra Mongkhol Bophit - não consguimos entrar
Wat Phra Si Sanphet
Wat Phra Ram
Wat Lokkayasutharam

 

E então fomos para o mesmo restaurante da noite anterior, o Sala Ayutthaya. Mais uma experiência incrível, uma linda vista para o rio e um templo do outro lado. Menu parecido e excelente serviço. Amamos !!!

 

Acreditam que ainda conseguimos ir direto para o Chatuchak market ?! Sim. Baixamos de uber no mercado e rodamos até. Tem de tudo e um preço super maravilhoso. Como estava nos primeiros dias, não compramos muitas coisas e acabamos arrependendo. Um colar lindo de buda estava saindo 12,00 reais. Nunca mais achamos neste preço. Bolsas, bijous, comidas, tem de tudo. Só andar, andar e se divertir com a "moda" thailandesa.

 

Agora pasmem...neste dia ainda, segundo dia de viagem e super empolgados, fomos parar na Ko San Road. Lá queríamos ver o show de ping pong, mas acabamos perdendo o timming. Meu marido estava doido para experimentar todos os insetos, acreditam ? Ele comeu todos, meu Deus que nojo. Eu achei que ia ter coragem de experimentar, mas não tive mesmo. Só o cheiro estava me dando ânsia, pois ele fritam em uma gordura quente lá com um cheio específico.

 

 

A rua é uma loucura, tem de tudo, muitos restaurantes, várias baladinhas, pessoas loucas na rua. Vale muito a pena ir para conhecer. Mais uma vez vá de tênis e cuidado com a bolsa, porque tem áreas que ficam bem cheias. Comemos uma comida típica em qualquer restaurante quase ficando surdos com a competição de sons que rola de um lado para o outro. Dica: quase tudo na Thailândia acada as 23:00. Se quer aproveitar bem, melhor chegar cedo, pois 00:00 não tem quase mais nada nos lugares que fomos para as "baladas".

 

 

O mercado flutuante foi uma das melhores experiências da viagem...gente, que lugar incrível. Tem de tudo, mas realmente ele "metem a mão" para turistas, tudo caro. Tem que barganhar muito, falar metade do preço que eles pedem ou menos. Vale a pena experimentar as comidas diferentes que eles vendem lá, mas como sempre, cuidado. Você realmente fica super tentado a comprar algumas coisas, mas no chatuchak por exemplo, encontra tudo muito mais barato. Amei as cores, a experiência, o passeio, tudo. Fomos de uber de bankok pra lá e deu R$ 90,00. Quando chegamos lá, ele nos apresentou uma mocinha que nos conduziu ao barqueiro. Eles pediram inicialmente 3500 Baths e fechamos por algo em torno de 2.200 (R$ 220,00) um barco particular. O barqueiro automaticamente já vai parando nos lugares para turista e você pode andar encima dos elefantes (nem pensar), visitar fazendas, visitar templos (achei lindo) e conhecer toda a cidade de barco. Pegamos um passeio de 2 horas e foi suficiente, inesquecível.

 

 

No mesmo dia, voltamos e visitamos os templos em bankok com um calor estonteante. Não conseguimos ir em muitos, fomos nos 2 principais e já acabamos o tour por nossa conta. Mas vale a pena passar um tempo dentro dos mais lindos, pois é realmente um grande palácio. Eles são geralmente um perto do outro, tem um roteirinho pronto que você já vai em todos, atravessa o rio de barco...mas acabamos não fazendo tudo, pois tem que cobrir pernas e braços e o calor acaba matando. Estas visitas aos templos é lotada de gente. Muitos turistas mesmo. Então confesso que meu deu um pouco de preguiça e não consegui convencer o marido de ver todos.

 

Templos:
Palacio real (Grand Palace)- cheids of the kings
Wat trimitr (buda de ouro)
Wat pho (buda deitado)
Wat Arun (templo do amanhecer)

 

 

Imperdível visitar o Siroco sky bar and lounge para tomar um drink. Eu achei até o drink absurdo de caro, mas vale muito a pena ir lá para tirar umas fotos. Minha galera acabou pedindo uns drinks e pudemos ficar, se não, eles te expulsão. Chegou, posou para a foto, tchau !! Tem opção de jantar lá também, mas nem imagino o valor.

 

Depois fomos jantar no restaurante Zuma. O valor da conta não preciso nem comentar, mas valeu cada prato. Alguns pediram menu degustação e tomamos um vinho branco delicioso. A noite foi deliciosa, muitas risadas e diversão. Eu queria ter voltado na Ko San Road para ver o ping pong, mas estava realmente cansada.

 

No dia seguinte, eu e Marido fomos visitar o SPA no The Península. Para quem gosta deste roteiro, imperdível. Vou fazer um post completo só sobre os Spa´s. Espero que tenham gostado das dicas de Bangkok.

 

DICAS

Uber: Não é tão fácil pegar um as vezes. O mapa dá muito erro e eles costumam demorar. As vezes você acha que vai esperar 3 minutos e espera 30. A maioria das vezes foi tranquilo, mas deu um trabalhinho.

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Desde sempre tive o sonho de conversar com um monge, um verdadeiro Guru asiático para tirar toda as minhas dúvidas sobre a vida. Exatamente destes que usam roupas laranjas que vemos nos filmes. A gente tem mania de depositar a solução dos nossos problemas nos outros e acha que algumas palavras vão salvar a nossa vida para sempre.

 

Tenho uma Guru aqui bem pertinho que é a Susan Andrews, do Instituto Visão Futuro, que foi quem me deu iniciação na meditação e por quem tenho extrema admiração e respeito. Além disso, tive a oportunidade de falar com alguns monges indianos na minha viagem para a índia em 2014. Mas como cada fase da vida é uma, desta vez foi diferente, sempre é diferente.

 

A Thailândia sempre foi um grande sonho. Já fui para Índia e Bali na Indonésia, mas faltava a terra do Budismo e superou minhas expectativas. Mas sentia que a viagem não seria completa se não conseguisse conversar com um monge. E magicamente aconteceu, quase no último dia de viagem. As minhas questões...inúmeras. Desde o ano passado, estou passando por muitas turbulências na minha cabeça e sinto que é hora de assentar algumas coisas.

 

Comecei a praticar meditação desde 2008 e no ano passado, deixei a vida me levar para longe. A prática diária deixou de ser tão importante e vi o quanto isso me fez falta. A primeira pergunta então foi em relação a isso:

 

O que fazer para continuar a prática de meditação todos os dias, com regularidade?

O que fazer para meditar todos os dias de manhã 30 minutos como eu costumava fazer?

 

E a resposta, surpreendente: "Você pode meditar o tempo todo, em todas as atividades do dia. Sei que os ocidentais tem uma vida super agitada e muitos compromissos. As vezes fica mesmo impossível tirar 30 minutos do dia para meditar. Então, você pode meditar apenas 5, ou meditar caminhando, ou na fila do banco. O importante é que tenha o hábito de esvaziar a mente." Falamos mais sobre isso com mais detalhes, pois é realmente mágico quando conseguimos ter uma postura meditativa. Não é fácil, mas faz toda a diferença para termos a prática como estilo de vida.

 

Depois ele falou que a meditação é um estado de presença. Qualquer coisa que você esteja fazendo, desde que com presença, é meditação. E isso é o que importa. É lindo, mas também exige prática. Não conseguimos estar presentes se não esvaziamos a nossa mente. Precisamos aprender a fazer isso e deixar a ansiedade (futuro) e a depressão (passado) de lado para nos conectarmos com o estado meditativo presente.

 

 

Thon também falou sobre a quantidade de distrações que temos hoje. Ele como monge, não tem quase nenhuma. A vida dele é estudar, meditar e passar conhecimento a frente. Nós, temos muitas e é isso que atrapalha o nosso retorno de volta a casa. Para voltarmos a nossa essência e encontrar um caminho que faça sentido, precisamos dizer NÃO às distrações. Vocês tem alguma ideia de como fazermos isso?!

 

No mais, falamos sobre a importância da atitude interna. Sobre você ser a única pessoa capaz de fazer o bem para si mesmo. Ninguém pode fazer por você. É a sua atitude que deve mudar. Não existe nada fora. Se você muda a sua atitude, você muda tudo.

 

Sim, foram poucos minutos de conversa e muito aprendizado. Gratidão e respeito é o que senti !!

Uma sensação de missão cumprida e um alívio no coração. Respeito imenso por esta escola de monges que dedica sua vida à realização plena individual, ao encontro da nossa própria verdade.

 

Este é o objetivo da minha vida !!




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Thailândia....país de muitas cores, sabores, sorrisos e descobertas. Foram tantas as experiências ao longo destes 15 dias de viagem que não sei por onde começar para contar tudinho para vocês. Também tem muito tempo que não escrevo sobre roteiros e viagens e confesso que estou bem empolgada para contar cada detalhe, tendo em vista que esta foi uma das minhas motivações para começar este blog, que acompanha a minha vida desde 2013.

 



Neste post vou falar no geral qual foi o meu roteiro completo e a partir dele vou linkando com os post específicos sobre cada cidade e experiências. Assim você já pode ir direto ao que te interessa, uma vez que a Thailândia está sendo um destino muito procurado por brasileiros atualmente e por ter uma diversidade enorme de atrações, é muito interessante pesquisar um pouco antes de embarcar. Foi uma alegria para eu e meu marido viajar com uma galera tão especial, estávamos com mais 4 casais e tudo foi ainda mais perfeito na companhia deles. Fizemos alguns trechos do roteiro diferentes, pois amamos uma “lua de mel” a dois, mas estar com pessoas tão alto astral em vários pontos altos da viagem foi TOP.

Chegamos direto em Bankok para ficar 3 dias. Já no início dá para sentir a vibe dos tailandeses típicos de uma cidade grande. Fomos em excelente restaurantes, visitamos os mercados locais e o mercado flutuante, que é uma atração imperdível.

Como apaixonada pela praia que sou, pegamos o voo direto para Ko Samui, ilha do lado direito da Thailandia, diferente de Krabi, Phi, Phi etc. Demorei um pouquinho para decidir sobre este destino, pensando se valeria a pena mesmo passar mais 3 dias na praia. Mas depois que soube que as ilhas ao redor eram o point das escolas de yoga e meditação, além de o local da Full Moon Party, não tive dúvidas que queria conhecer e praticar um pouco de Yoga neste país tão exótico. Não tivemos sorte nas praias com o tempo chuvoso, mas só pelo mergulho maravilhoso que fizemos, valeu e muito a experiência. Nosso hotel também foi delicioso e o Spa dele nem se fala.

O próximo destino foi o ponto alto da viagem, Koh Phi Phi é simplesmente incrível. Ainda bem que não conheci a ilha quando era jovem. Com 18 anos, teria ficado por lá. Praias maravilhosas, energia super alto astral, pé na areia, muitos jovens....amei tudo na ilha, menos o cheiro de esgoto que não poderia deixar de citar, é inevitável. Os passeios de barco foram maravilhosos, o nascer e o pôr do sol, um dos mais bonitos que já vi. A balada na praia também foi uma das melhores e mais exóticas da vida, enfim...ficaria 10 dias da viagem hospedada apenas em Phi Phi, minha cara.

Em krabi, mais maravilhas e belezas ainda mais exóticas. As cores são diferentes das que encontramos em Phi Phi, o que completa a viagem. Ficamos em Railay Bay, a praia que mais me identifiquei pela ação e da diversão com opção de vários esportes. O passeio de Kayak é imperdível. A escalda também sensacional. Mas claro que alugar um barco para visitar as ilhas próximas é a melhor pedida. Infelizmente chegamos neste destino passando um pouco mau, o que nos deixou mais quietos a noite.

 


Confesso que não imaginava dizer isso tão fácil, mas a esta altura, depois de 13 dias de viagem e 9 na praia, cansei de ficar molhada e enrugada. Já estava na hora de voltar para a cidade e Chiang Mai não poderia ter sido tão perfeito. Uma cidade charmosa, típica e cheia de atrações deliciosas para fazer de dia e também a noite. Visitamos alguns tempos de bicicleta e tivemos a oportunidade de conversar com um monge em formação, foi mágico. O passeio na Long Neck Village também achei maravilhoso e o Lion Kingdom eu dispenso. Me senti uma nativa nesta cidade, andando pelas ruas, visitando os mercados locais e o night bazar e foi a experiência perfeita para terminar esta viagem incrível.

 

Veja o post: Conversando com um monge

Já pode voltar ?!




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Por Simone Las Casas

Eu sou muito suspeita para escrever este post sobre a aula desta amiga querida, minha companheira de jornada, apesar de já ter feito isto AQUI e AQUI. Continuo suspeita para escrever sobre o Spa Mitra, qual eu sou consultora e acompanhei cada detalhe do projeto desde a concepção até os dias de hoje. Deixarei vocês com as belas palavras da jornalista Fernanda Mann, que está comigo na #nossajornadayoga e descreve maravilhosamente as impressões vividas com a aula da Cândida.

 

Em relação à prática do Tantra Yoga...AH, sem dúvidas ainda sob suspeita, me orgulho sinto plena satisfação em dizer que a formação no Instituto Visão Futuro mudou a minha vida positivamente e a Kaoshikii me ajudou muito nesta jornada. Imensa gratidão pela pessoa maravilhosa que ela é e pelo conhecimento que transmite através da sua prática pessoal sincera. Experimentem!!!

 

 

Por Fernanda Mann

Quem passa na rua movimentada pelo arranha-céu de vidro espelhado, bonito e elegante, talvez não imagine que ali dentro existe um cantinho especial de extremo bom gosto, super tranquilo para recompor as energias e encher qualquer um de saúde, beleza e bem estar. Em meio ao burburinho da savassi, fica o Spa Mitra, cheiroso, aconchegante e cheio de opções para cuidar do corpo e da alma. Uma das preciosidades que este espaço oferece é a aula de Tantra Yoga com a querida Kaioshikii, professora há 30 anos, com vasta experiência e disciplina inspiradora.

 

A tantra yoga é uma modalidade instrospectiva, tranquila e muito agradável. Atua sobre os pontos energéticos do organismo, agindo sobre todo o corpo, fortalecendo músculos, trazendo equilibrio hormonal e consequentemente auto conhecimento e controle emocional. Tudo isso se dá através das posturas da yoga somadas à respiração. E foi assim que começamos a relaxar na sala de luz azul violeta. Respirando conscientemente, a ideia é se conectar profundamente consigo mesmo e sentir cada um dos movimentos e o que eles trazem para o corpo.

 

Ficamos de olhos fechados enquanto Kaoshikii nos guia e o resultado é um profundo relaxamento e sensação de bem estar. Ela explica que com a prática vai se fortalecendo uma caminhada em direção à meditação e nos recomenda fazer como ela e praticar todo dia um pouquinho. "É importante ter disciplina. Assim conseguimos alcançar os resultados desejados", ressalta. Explica ainda que a yoga vai muito além das posturas, respiração e prática sobre o tapetinho, envolvendo alimentação, serviço social e princípios morais a Yoga é um estilo e filosofia de vida.

 

Introspectiva, a tantra yoga trabalha os pontos energéticos do corpo, agindo de maneira sutil sobre todo o organismo. As posturas são selecionadas entre os mais de 4 mil ásanas, especificamente para cada pessoa, de maneira a fortalecer sua caminhada e suprir suas necessidades. Por fim e nenhum pouquinho menos importante fizemos uma alto massagem, que potencializa o trabalho realizado durante a aula e é boa demais da conta!

 

Horários:

Segunda 19h

Quarta as 8:30 hs.

 

Aula para gestantes: Terças 17:30

 

Endereço: Rua Arturo Toscanini, 61 – Savassi

 

 

Sobre o Tantra Yoga

por Kaoshikii

 

As ásanas da linha de Tantra Yoga são diferenciadas das outras, porque têm o objetivo de preparar o corpo para as práticas profundas de meditação. Nesta abordagem, as ásanas realizadas possuem características especiais, no que diz respeito a sua execução. Através dos movimentos realizados, ocorre o equilíbrio das secreções das glândulas endócrinas (Hormônios) e o controle do vrttis (propensões mentais dos cakras ou chakras).

 

Além das posturas existe o controle da respiração e o movimento do corpo. Retenção da respiração (Kumbhaka). Durante a execução das ásanas, as posturas são mantidas em pausas respiratórias. Elas poderão ocorrer ao final de uma inalação (purnakumbhaka), retendo o ar nos pulmões, ou ao final de uma exalação (shunya Kumbhaka, que é a pausa com os pulmões vazios). Estas pausas respiratórias tem um efeito muito significativo em acalmar a mente, e devem ser acompanhadas de uma ideação cósmica, para que o praticante possa absorver esta ideação na sua mente.

 

Dentro do Tantra existe uma técnica especial de auto-massagem .Quando praticamos as posturas do Tantra Yoga, estaremos estimulando as glândulas sebáceas sob a pele a secretar seus óleos naturais e a massagem estimula esses benefícios, mantendo a pele macia e flexivel.

 

A massagem também estimula o sistema linfático e todo o sistema nervoso especialmente a massagem dos pés. Após a massagem faz a postura de Relaxamento (Shavasana) para um descanso mais reparador que o próprio sono. Através da prática de Tantra Yoga diária, conseguimos um relaxamento e revitalização física, mental e espiritual.

 

A repetição das posturas (a maioria são repetidas 4 ou 8 vezes) auxilia na purificação do corpo, no equilíbrio dos sistema glandular, e no controle dos vórtices de energia psíquica nos cakras. Cada postura tem a função de trabalhar algum cakra ou todos as mesmo tempo.

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


por Juliana Franqueira

Sempre acompanhei a querida Juliana Franqueira pela vida. Mais feliz ainda eram os dias que nos encontrávamos pelas trilhas. Inspiração de saúde, qualidade de vida, programas de Bem Estar, ação e atividade constante. Há 02 semanas conheci o blog desta linda e estou encantada. Não só pelo conteúdo, como pela maneira que espõe a beleza e a alegria da vida. Acredito que foi assim que ela descreveu a #nossajornadayoga. Leiam vocês mesmos que linda matéria e acessem o MOTIVOAÇÃO. 

 

 

Que tal embarcar numa jornada em busca de autoconhecimento e felicidade? Esta viagem percorre caminhos repletos de cheiros, sensações e energias. Experiências que, antes de serem vividas, são sentidas, nos alimentando uma vontade imediata de estar naquele lugar, vivenciando aquela experiência. As histórias desta viagem são contadas por duas meninas, Fernanda Mann (jornalista, bióloga e fotógrafa) e Simone Las Casas (consultora em Spa’s e professora de yoga).

O projeto dessas duas amigas, intitulado “Nossa Jornada Yoga”, traz uma viagem divertida e informativa por espaços voltados para aulas de yoga (vinyasa, hatha, acro yoga, fly yoga) e terapias integrativas (meditação, massagem, reiki). Com uma roupa confortável e, de preferência, nenhum calçado, elas partem atrás de opções de práticas, lugares e profissionais que auxiliam nesta “busca interna pela felicidade”. 

O “Nossa Jornada Yoga” é a soma de dois projetos pessoais. De um lado, o “With You” que além de ser um espaço físico em Belo Horizonte, onde Si Las Casas ministra aulas de yoga para grupos limitados, é também um blog (siwithyou.com.br) e traz exercícios para facilitar a prática da modalidade, dicas de spa’s e receitas de pratos vegetarianos e veganos.

Do outro lado está o “Better life everyday” conduzido por Fernanda no instagram (@fernandamann) e em seu site (fernandamann.com) que trazem dicas de uma alimentação saudável, fotografias lindas e divertidas, âsanas de yoga, ginásticas funcionais, sustentabilidade, voos e levitações que só mesmo navegando na web pra entender.

 

Juntas ou separadas, mas sempre com riqueza de detalhes, as iogues esperam com seus posts facilitar a vida das pessoas que se interessam pela yoga, mas não sabem por onde começar. Foi o que aconteceu com a paulista Paula Fujii que seguiu uma das dicas do projeto: “Eu estava buscando um lugar para iniciar a prática, mas estava com receio por não ter referência aqui em Belo Horizonte. Por uma indicação sua, vou fazer uma aula experimental. ”

 

“Levando informação sobre o estilo de prática é possível achar alguma opção que se encaixe perfeitamente em sua rotina e venha lhe trazer mais qualidade de vida a partir do autoconhecimento, fortalecimento do corpo, ganho de flexibilidade e controle das emoções, explica Fernanda. “Nós não imaginávamos que encontraríamos tanta diversidade de práticas, tantas ofertas de espaços e professores”, completa.

Segundo Simone, a jornada pretende divulgar os diferentes estilos de yoga e criar uma rede de interação que traga ao conhecimento das pessoas, os locais de prática e os benefícios de cada uma, e conclui: “as diferenças entre as modalidades são gritantes e a pessoa tem que se identificar com a prática, com a dinâmica da aula e até com o tom de voz do professor”.

 

 

Não fique de fora! Siga as pegadas por onde já passou a “Nossa Jornada Yoga”:

Hatha yoga: Solange Pacheco - Eterno Movimento (BH - bairro Belvedere)

Acroyoga: Luana Leão - Sachcha Prem (BH - bairro Mangabeiras)

Hatha yoga: Mila Monteiro - Espaço Una Yoga (SP - bairro Jardim América)

Fly yoga: Aline - Prana Bem-estar (BH - bairro Santo Antônio)

Vinyasa: Karuna - Sachcha Prem (BH - bairro Mangabeiras)

Hatha Yoga Integral: Fabiana Barros - Oficina da Alma (BH - bairro Barroca)

Hatha Yoga Integral: Marta Pais - Núcleo Satya (BH - bairro Buritis)
 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




A vida é feita de descobertas. Estamos aqui para experimentar, para testarmos nossos gostos, limites e desafios. Ao longo desse percurso de experiências vamos nos aproximando de nós mesmos e entendendo melhor o sentido de nossas buscas. Cada um percorre uma trilha única, particular, mas a travessia não é solitária. São tantos os encontros e desencontros que vão nos aproximando mais de nós mesmos… Há sempre alguém que nos fortalece, que nos inspira, que nos motiva ou é um exemplo. Não é verdade que a felicidade só é verdadeira quando compartilhada? Então aqui começa nossa jornada juntos, unidos nessa busca!!

 

 

Duas amigas queridas que há muito não se viam, se encontram e percebem que estão com uma “coceirinha”, uma inquietação, um ânimo comum: uma sede de conhecer e experimentar as práticas e ferramentas disponíveis para facilitar e proporcionar esse encontro interno de auto conhecimento e felicidade plena. A boa notícia é que esse inusitado encontro entre a Consultora em Spa’s e Professora de yoga Simone Las Casas, e a bióloga, jornalista e fotógrafa Fernanda Mann, fez surgir uma iniciativa que vamos compartilhar com você. Para começarmos bem a jornada, para botar o pé na estrada há que se estar com o corpo em forma. Na a buscar desse equilibrio interno, cuidaremos primeiro de nosso veículo por meio da prática de yoga e uma alimentação saudável.

 

 

Hora juntas, hora separadas fisicamente, mas sempre unidas por esse propósito, seguimos nesse tour para reveler as possibilidades de abrirmos os caminhos da busca interna pela felicidade!!!

 

Vem com a gente!! #NossaJornadaYoga

 

 


https://www.youtube.com/watch?v=VE3rPHRop1M

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Por Fernanda Mann
O espaço é grande e oferece um monte de coisas boas pra saúde do corpo e da mente. Quem abre a porta é Ailla, uma menina muito sorridente. Muito animada conta toda sua história e seu jeito meio moleca de quem tem seus 25 anos, vai revelando uma bagagem muito interessante das vivências que fizeram nascer sua abordagem terapêutica, o Método Uno. Reunindo a yoga que conheceu aos 13 anos, o reiki, a cromoterapia, a psicologia nas quais se formou, Ailla traz uma abordagem dinâmica e integrada.

 


Isso fica evidente em sua aula de yoga. Sentadas de maneira confortável, na ampla sala luz violeta, a introspecção se torna cada vez mais nítida. Nehuma pressa. Movimentos lentos, começando pelo giro da cabeça que acompanha a respiração de maneira a trazer relaxamento. Inspirações e expirações profundas, vezes de maneira regular, vezes alternando as narinas. Sentindo sempre a expansão das caixas toráxica e abdominal. “Respeitando o tempo e frequência que pede seu corpo. Despertando o potencial de todos os chakras. Com o tempo seu silêncio”, ela disse e começamos a nos mover. Desde delicados alongamentos deitadas e sentadas, até vigorosas posições dentro do limite que manda o corpo.

 

Me senti revigorada! E aí partimos para o relaxamento. Deitadinhas ali, respirando e sentindo todos os benefícios da prática, recebemos a energia quentinha das mãos da Ailla. Um Reiki!!! Muito bom! Dá pra gente fazer na gente mesmo! Um carinho, cheio de energia, incluindo potencial de cura. Poder que a natureza nos dá e a gente, as vezes, nem fica sabendo. Assim como a respiração, ferramenta de controle do organismo! Quando abri os olhos uma velinha nos esperava acesa, ali, pronta para mais uma inspiração, uma expiração e muita gratidão! Um aconchego!

 

 

 

 

Por Simone Las Casas

Conheci a Ailla pela Happylegging. Comecei a segui-la no instagram há um tempo e corri para procurá-la na primeira oportunidade. Foi aí que conheci um lugar super especial e diferenciado no coração de Belo Horizonte, a Clínica Ailla Pacheco. Na companhia da querida Fernanda Mann pela #nossajornadayoga, agendamos uma aula particular com a Ailla e ficamos muito felizes em conhecer o trabalho desta querida.

Não sei o que vocês pensam sobre isso, mas eu fico muito feliz quando consigo estacionar de primeira para um compromisso, principalmente quando se trata uma aula de yoga. Sinto que este fator contribui para a preparação, disponibilidade mental e tranquilidade que irei experimentar nos momentos seguintes. Fomos recepcionadas muito bem e apresentadas à sala de espera da pirâmide, onde pudemos aguardar o horário da nossa aula meditando nesta energia.

 



Além das aulas de yoga, Ailla é psicóloga e faz atendimentos na clínica com o objetivo de trabalhar o ser humano integralmente: Corpo, mente, energia, emoção e espírito. Para tanto, utiliza reiki e terapia florar, além de outras técnicas. Fizemos uma hora de prática intensa e ao mesmo tempo relaxante, com direito à óleo essencial e reiki no final. Senti uma energia muito verdadeira e sincera no final da aula. Minhas mãos formigavam e realmente eu não queria sair daquele estado de Paz e Consciência.

 


Particularmente me identifiquei muito com a aula da Ailla. Tanto que na semana seguinte estava de volta praticando com ela e me matriculando nas turmas de segunda as 19:30. Trocamos poucas palavras de apresentação antes de aula e pude perceber que Ailla segue a filosofia “livre”, a mesma que me propus após anos de estudo com diversas linhas de yoga. Somar para transformar, agregando valores e conceitos para o autoconhecimento de forma integral. Não existem as referências de “certo” ou “errado”. “O Yoga é uma coisa só, e quanto mais nos abrirmos para todas as possibilidades que ele proporciona - ministrando uma aula que abranja conhecimentos integrados - melhor poderemos desenvolver nossa missão, diz Ailla.

 

Vejam o vídeo da nossa prática para se inspirarem!


https://www.youtube.com/watch?v=_AmFKkHZsKc&;

 
Depois de dividirem com vocês as experiências neste espaço delicioso, complemento dizendo que estou muito feliz por fazer parte de um lindo evento proposto por esta querida para a conscientização do câncer de mama. Será uma AULA gratuita e especial, repleta de surpresas imperdíveis, AMOR, doação, luz e alegrias.

 

Dia 18 de outubro de 2015, domingo agora, as 10 da manhã, vista-se de rosa, traga seu tapetinho ou toalha e venha praticar yoga conosco na praça da liberdade!

 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Ainda sobre a querida Marta Pais que visitamos na semana passada, queria apresentar para vocês este lindo espaço em meio à natureza idealizado por ela. O Espaço Viverde é um lugar para você se conhecer através de práticas de Yoga, estudos filosóficos, atividades físicas, pranayamas, atividades na horta e retiros espirituais. O Espaço Viverde é um local em meio à natureza, que oferece uma proposta de reprogramação do estilo de vida das pessoas, visando a valorização de uma vida mais natural, equilibrada, simples e saudável.

 


O local é a 35 km de Belo Horizonte (perto do Retiro do Chalé), numa região privilegiada por suas belezas naturais, numa região de mata Atlântica. 

 


Oferecemos cursos, vivências e workshops, sempre com o objetivo de promover o bem estar, a saúde física, emocional e mental através do auto conhecimento, da arte e da espiritualidade.

 

 

As atividades são realizadas todos os sábados em meio a natureza, escutando o canto dos pássaros, relaxando embaixo do bambuzal, tomando banho de riacho e de cascata, pisando na terra e ainda recebendo a visita de micos e tucanos. A estrutura é um óasis e possui um riacho de águas claras, trilhas pela mata, horta orgânica, canteiro de mudas, um espaço para Picnic,um terraço para a prática de Yoga onde vemos a copa das árvores de cima, banheira ao ar livre, orquidário, redário, etc.

 


Existe uma trilha na mata para realização de atividades de "treinamento militar", o que trabalha a superação e a coragem. 

 


Outras atividades que muito nos interessam são os retiros espirituais de meditação, curas quânticas e terapias holísticas que existem no Espaço Viverde. Fiquei encantada com a possibilidade de fazer este relaxamento maravilhoso e profundo no lago, olhem que incrível!!

 

 

 

Para que a experiência seja ainda mais completa, eles oferecem alojamentos para quem quiser dormir e acordar nesse paraíso. Tudo que precisamos aqui pertinho de BH, não acham?!




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Por Simone Las Casas

 

Sempre ouvi dizer de uma prática deliciosa no buritis, mas nunca tinha tido a oportunidade de conhecer. Quando soube que a professora era tia de uma amiga e aluna, senti o chamado ainda mais forte. E assim, a aula da Marta no Núcleo Satya de Yoga superou minhas expectativas.

 

Uma sala tranquila em um prédio na entrada do Buritis, toda decorada e preparada para a prática. Ficamos surpresas com a amplitude da sala e sentimos um ambiente bem agradável. Marta nos recebeu de braços abertos e a sensação era como se estivéssemos acolhidas em um abraço.

 

 

Segundo as palavras dela: 
“A Hatha Yoga é o caminho do meio. Existem tipos de Yoga muito voltados para o corpo físico e outras com práticas de meditação muito intensas, muitas vezes difíceis para o ocidental comum. A Hatha Yoga tem práticas físicas muito eficientes, mas também trabalha nos corpos emocionais, mentais e tem práticas de meditação mais facilmente assimiladas pelas pessoas.”

 

 

O Yoga entrou na vida da Marta em 2004, como a salvação para dar sentido a vida. O Yoga a fez resgatar a auto estima, a confiança visão da vida. Começou a enxergar a vida com um propósito, uma missão e isso a fez sentir mais feliz e mais tranquila comigo mesma e com os outros. E é lindo quando a prática fazer isso com as pessoas !!

 

 

Quando pedimos para Marta deixar um recado sobre o que significa o yoga para ela, uma linda resposta: “O YOGA é uma ferramenta para transformação. A energia de Shiva é destruidora e transformadora! Com a prática passamos a ter mais consciência do corpo físico , das emoções e da mente. Esse autoconhecimento nos ajuda a perceber o que está bom e o que não está tão bom em nossas vidas e o que precisa ser mudado. O Yoga é energizante e calmante ao mesmo tempo. As pessoas se tornam mais corajosas e determinadas para fazer mudanças na vida e ao mesmo tempo tranquilas e serenas para realizar as transformações de forma leve e equilibrada.”


Por Fernanda Mann

 

Uma aula bem completa e tradicional para tranquilizar o corpo, a mente e nos familiarizar com todas as ferramentas da yoga: a respiração, os ásanas, mantras, relaxamento, etc. O espaço fica no buritis e dependendo do horário é bem tranquilo de estacionar. Subi o prédio e encontrei uma sala ampla, colorida, com uma decoração linda e um clima muito tranquilo. Ali também acontecem aulas de Fly Yoga, mas naquele momento o objetivo era praticarmos a Hatha Yoga com a querida professor Marta, que possui uma experiência de aproximadamente 11 anos com a yoga.


Ela nos guiou por uma sequencia tranquila de ásanas. Alguns eram variações bem simples de ásanas que costumo fazer sempre, mas que ainda não havia experimentado daquela forma. Gostei muito! Começamos nos colocando em estado presente, com uma música agradável de fundo e exercícios respiratórios. Depois seguimos para a sequência de posturas. Todas com alguma permanencia, sem perder a fluidez.


A sala é muito aconchegante, experimentamos a luz de tonalidade azul-violeta. Marta tem voz suave e facilidade em guiar pelos movimentos o que possibilita, para quem não é marinheiro de primeira viagem, fazer a aula, praticamente de olhos fechados. Uma delícia!!!

 

Contato: Marta Pais: 9981-0344
Facebook - Núcleo Satya de Yoga

 

Horários das aulas:
Segunda-feira - 16:00, 18:15 e 20:30hs
Terça e quinta -feira - 6:45, 8:00, 18:30 e 20:00 hs
Quarta-feira - 12:10,16:00 e 20:30 hs
Sexta-feira - 12: 10 hs

 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Por Simone Las Casas

 

A aula com a querida Fabiana Barros da Oficina da Alma foi deliciosa e muito, muito relaxante mesmo. Fomos convidadas a praticar no novo espaço onde ela está dando as aulas x e nos deparamos com uma sala ampla, bem decorada e muito aconchegante. O espaço funciona também com atividades para x e atendimentos psicoterápicos.

 

A prática começou com movimentos leves e atenção plena na respiração. Fabiana fez formação de 02 anos em Hatha Yoga pelo instituto de kaivaladhama e praticar com ela esta linhagem pra mim foi um tanto quanto especial. Tive a oportunidade de conhecer o Instituto de Lonavla e praticar diretamente com os mestres indianos em uma viagem à Índia com o professor Gerson D’áddhio.

 

Me encantei pelo modo como eles se baseiam na filosofia clássica, o que já contei para vocês em detalhes neste post. O Instituto é reconhecido pela universidade de pune como instituto para pesquisas e desenvolvimento do yoga e eles tem uma coletânea de todos estes antigos manuscritos de todas as partes do mundo, em média 2700 manuscritos atualmente. Esta Literatura é importante para entender o yoga antigo, suas bases, raízes e verdades. Em outras palavras, podemos dizer que estamos falando do Yoga Científico.

 

A aula é que fizemos com a Fa é bem tradicional e se baseia nos ensinamentos do Hatha Pradipika. Ela também se encantou tanto com a linha, que acabou acabou trazendo o curso de alguns professores desta filosofia para BH, que foi quando eu conheci o professor Gerson. Posturas clássicas, feitas com pausas respiratórias e compensações. O trabalho do corpo é instrumento para vc ir em busca do aquietamento mental. Não é uma aula que traz condicionamento físico. No final da aula geralmente as pessoas estão relaxadas, concentradas e tranquilas”, diz Fabiana.

 

O objetivo da Yoga Científica é trazer os conhecimentos da filosofia prática indiana para o homem moderno, sem excluir uma visão holística, que busca o equilíbrio e o bem-estar físico e mental através de posturas estáveis (mantidas confortavelmente através do relaxamento do esforço com a mente concentrada), controle da respiração, desenvolvimento da atenção e práticas de meditação. A prática da Yoga proporciona alongamento, flexibilidade, força, equilíbrio, melhora da postura corporal, concentração e relaxamento.

 

 

Por Fernanda Mann

 

Em uma ampla sala, bem iluminada estendemos nossos tapetinhos, ao lado da grande porta de vidro por onde entrava uma brisa gostosa que balançava as cortinas translucidas. Uma aula calma, totalmente relaxante. Fabiana tem a voz tranquila e suave. Fechamos os olhos e ela nos guiou entre os ásanas. Aos poucos fui me nos conectando com meu corpo e ficamos profundamente envolvida com minha respiração. Os barulhos da cidade foram silenciando e apenas a música, a doce voz e o som de minha respiração passaram a envolver a prática lenta e atenciosa sobre cada uma das posturas.


Há bastante permanência... Dedicamos tempo e atenção à cada postura que o corpo assumiu. Não há mudanças bruscas de um ásana para outro. Várias longas e profundas inspirações e expirações completas acontecem durante cada ásana.

 

Começamos a aula deitadas e permanecemos com o corpo todo estendido sobre o tapete durante a primeira parte da aula, trabalhando diferentes partes do corpo de uma maneira levemente intensa. Percorremos diversos ásanas nessa posição, trabalhando força e flexibilidade em um estado de relaxamento contínuo. Mesmo que a postura oferecesse alguma dificuldade esse estado de tranquilidade, somado à percepção da respiração, fazem com que a cada vez que você libera o ar, seu corpo se sinta mais confortável e avance delicadamente na postura.


Fabiana guia os movimentoss de maneira que praticamente não abrimos os olhos. Ela vai descrevendo devagar e vamos nos colocando intuitivamente na postura. Aproveitamos sem pressa os benefícios de cada ásana, descobrindo em posturas simples a sensação de conforto e bem estar. Uma delícia!
Uma aula para desligar completamente. Para deixar a pressa de fora e sair se sentindo leve e tranquilo. Para acalmar os batimentos, a respiração e os pensamentos!

 


Endereço: Rua Aristóteles Caldeira, 552 – Barroca
Horários: terças e quintas às 16hs e quarta às 18h30
Também dá aulas particulares e para empresas.
Contato: fabianabyoga@gmail.com / (31) 97946829 / facebook: Yoga e Felicidade

 

 

Um pouco sobre Fabiana Barros


Morava em Sp, não conhecia nada sobre yoga. O marido arrumou um emprego em SP e ela foi com ele. Ficou muito assustada, com medo e sozinha. Passados uns meses ela saiu de casa e começou a fazer natação. Viu uma placa sobre aula de yoga e começou a praticar em 2001. Foi amor a primeira vista!! Primeiro mês foi de descoberta, mas logo em seguida, não queria parar de praticar mais. Começou a comprar revistas, queria fazer yoga todos os dias. Começou a querer fazer em casa e começou a praticar em casa sozinha. Então foi fazer o curso com o Marcos Rojo e se apaixonou.

 

Fabiana faz um lindo trabalho com crianças que sofreram abuso, entre 09 e 12 anos e tem tido resultados maravilhosos. Além disso, está desenvolvendo o Yoga em família. Ela trouxe os próprios filhos para este trabalho e tem tido excelentes experiências com as crianças, além de ser encantador ver as crianças praticando. É uma sementinha muito bonita de ser plantada !

Querida Fabiana,

- Qual o diferencial e benefícios da sua linha de yoga?! Meu trabalho tem como fundamento os textos antigos. Busco na minha vida pessoal vivenciar esses ensinamentos e com isso, repassar aos meus alunos.


Acredito que minhas aulas são bem relaxantes. Você entra em contato com sua essência, a mente se aquieta. O corpo é um instrumento para esse aquietamento mental. A respiração melhora, as emoções se tornam mais presentes e você aprende a aceitá-las e vivenciá-las.


O meu jeito de dar aula relaxa a mim mesma! Me realizo como instrutora de yoga. É um dos melhores momentos durante o dia: dar aula de yoga.

Lembro-me, com muito amor, do primeiro mês de prática! Que sensação deliciosa, como se tivesse nascido de novo! O céu era mais azul, as flores saltavam aos meus olhos e comecei a desbravar São Paulo. Conheci a cidade em todas as direções, trabalhando ainda como advogada. O yoga me deu essa coragem. Como não se apaixonar pelo Yoga!?

Daí um tempo, comprava todas as revistas sobre o assunto e queria praticar todos os dias.
E chegou o dia que perguntei a minha professora, Cris, qual seria o próximo passo, pois queria aprender mais. E ela me indicou o curso do Prof. Marcos Rojo e foram dois anos maravilhosos na FMU. Pude ver que tudo o que vivia na prática do Hatha yoga é bem fundamentado e vem de uma cultura que eu estava entrando em contato e até hoje me encanta demais.

E é tanto amor a esse conhecimento, que trouxe os professores de São Paulo para BH, no curso de capacitação do IEPY – Instituto de Ensino e pesquisas em yoga. Isso tudo para matar as saudades dos professores e manter minha prática viva e inspirada!

E esse mês, comecei a ir a São Paulo, para o curso de Filosofia do Yoga, me aprofundando ainda mais.
Preparando-me para ir à Índia!

- Onde dá aulas e qual sua forma de trabalho, horários?!

 

Atualmente dou aulas na Oficina da Alma, no Barroca, Rua Aristóteles Caldeira, 552. As aulas tem duração de 1h e os horários que estão disponíveis no momento são: terça e quinta, 16h e quarta, 18h30; dois sábados por mês, às 8h45 e 10h.
Também me disponibilizo a dar aulas particulares, em empresas e instituições.
Mês que vem irei começar na INFRAERO e no Studio PHYSIK, no Gutierrez.

- Você é vegana/vegetariana? Quals seus motivos?

 

Não, eu não sou vegetariana. Essa é uma questão interessante. Há um tempo atrás me preocupava com o que os outros iriam pensar ao dizer que eu como carne. Já ouvi julgamentos a esse respeito, mas acredito que isso não me define.


É um objetivo, já diminui bastante o consumo, mas é um passo a ser dado mais adiante, em razão e respeitando o convívio familiar.


Quando assisti às aulas de um professor, João Vieira, sobre alimentação, fiquei bem mexida a parar de comer, em razão da ética. Consegui parar de tomar o pouco de café que tomava. Já achei uma grande vitória!

Na minha dieta, como frutas, legumes, grãos, pão integral, ovos e gosto muito de chás. Não dou muito importância a carne. Adoro os pratos vegetarianos.

 

- Deixe sua mensagem sobre YOGA para as pessoas?

O yoga é para todos! É um momento para se encontrar, estar consigo, conhecendo-se um pouco mais a cada prática. Você aprende a se aceitar e melhorar o que pode ser melhorado.
Ao estar consigo, com o seu corpo, sentindo sua respiração, você percebe como é bom viver no momento presente!


É preciso praticar para se obter os benefícios, que, com certeza, valerão a pena!

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




Sempre quis praticar com a Milla Monteiro. Sigo ela no instagram há um tempo e corri para procurá-la na primeira oportunidade que tive em São Paulo. Foi aí que conheci um lugar super especial e diferenciado para quem mora na cidade, o Espaço Una. Na companhia da querida amiga Paulinha Oliveira, estacionamos o carro com tranquilidade em um estacionamento próximo e nos deparamos com uma casa leve e aconchegante.

 

 

Fomos recepcionadas muito bem e apresentadas à estrutura muito clean e elegante. Peguei um dos biscoitos naturais oferecidos no espaço para tapear a fome, enquanto me encantava com cada detalhe e diferencial. Pude sentir a sintonia e equilíbrio de cada cômodo e só depois soube que tudo foi pensado com bastante cuidado para fluir na energia do Feng Shui.

 

 

A lojinha e biblioteca me deixaram inspirada. Seleção das melhores roupas para prática de yoga, tapetes, almofadas e detalhes que encantam qualquer pessoa e convidam a fazer parte de uma única energia universal, uma energia do bem. Incensos diversificados, livros encantadores e um convite a interiorização desde o momento de preparação para a prática. Não pude recusar o delicioso chá de ervas servido para aquecer o friozinho de São Paulo e aproveitei para colocar o papo em dia com minha amiga.

 

 

 

Mila chegou e cumprimentou todos que a aguardavam para a prática, que foi uma aula intensa, fluida e muito gostosa. Após um dia cheio de trabalho, nada melhor para revigorar as energias. Confesso que estava muito feliz pelo fato de estar praticando com alguém que admiro muito nas redes sociais, mesmo sem conhecer pessoalmente. Foi como um sonho realizado pra mim. Expectativas superadas ao conversar e conhecer um pouco mais a querida Mila Monteiro. Ao final da prática, olhei para Paulinha e ambas estávamos saindo da sala com aquela cara de felicidade e bem-estar, típica de uma boa prática de YOGA.

 

 

Não acabou por aí, o espaço reserva ainda mais surpresas. Na parte de fora da casa, muitas salas de tratamento em um ambiente único. Coaching, Numerologia, Florais, vários tipos de massagem, tratamentos ayurvédicos, reiki e muito mais. Como consultora em Spa’s, fiquei encantada e louca para experimentar. Não tive oportunidade de conhecer e realizar alguns dos tratamentos/procedimentos neste dia, mas já está na minha agenda para a próxima visita à SP.

 

 

Para saber mais sobre o espaço, acesse UNA YOGA.




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

 

Por Simone Las Casas

 

A jornada passou por um lugar muito especial pela segunda vez. O Prana yoga é um espaço no Santo Antônio muito aconchegante e gostoso. Todos os detalhes foram pensados para inspirar bem estar e sem dúvidas ficamos com vontade de não sair mais de lá.

 

É um porta pequena que dá entrada para um grande universo. Poltronas confortáveis, um chá deliciosamente preparado no dia e super fresquinho, consultório de atendimento, biblioteca com muitos volumes, ambiente de leitura e salas de yoga. Não muito grandes, mas suficientes para atender 03 a 06 pessoas. Muito bem decorada, a sala de massagem ayurvédica é um convite ao relaxamento. Um Buda de cristal nos chama a entrar na experiência e desfrutar de um momento dedicado ao auto-conhecimento através da prática. 

 

Não encontramos dificuldade para estacionar e fomos guiadas até a entrada pelo cheio gostoso de incenso. Sentimo-nos únicas e especiais neste lugar tão individualizado e bem cuidado. As opções de horários e diversidade de práticas não são muitas, mas vale a pena encontrar aquele "time" que atenda à sua necessidade e transforme a sua vida.

 

A aula de Fly Yoga é uma experiência única. Como se tirássemos os pés do chão (literalmente), nos entregando ao desconhecido. Uma prática de entrega e confiança. Um vôo ao inusitado, dançando pelos ásanas do yoga. É difícil descrever em palavras as sensações que temos em uma aula como esta. Em muitos momentos fiquei boquiaberta, impressionada com o fluxo leve e solto e ao mesmo tempo intenso da aula. Desejo de voar.

 

 

Por Fernanda Mann

 

O local é pequenino, mas extremamente aconchegante e elegante! A gente entra, deixa os sapatos e já começa a se sentir acolhida. As meninas são sorridentes e também muito queridas. Te recebem com um chá quentinho. Você olha dentro da xicará e tem um Budinha sentadinho.

 

O clima é descontraído, os cômodo são mais de um. Alguns livros, pufes, cama de massagem, meia luz e uma sala comum. Aí por ultimo tem uma salinha que imagino receber 3 ou 4 alunos. Sendo assim, o atendimento é bem individualizado. Você entra e escolhe seu tecido… Tudo organizadinho e também bem colorido! Uma janela por onde entra a brisa da lavanda…

 

Começando meio tímido, mas a Aline é quem comanda. Vamos começar! Um pouco de alongamento e o pano começa a te esticar! É como praticar com um amigo que te puxa, segura, te prende e te solta. Você ganha flexibilidade e os asanas dão uma intensificada. A Aline não tira os olhos de você e pra quem achava que não sabia nada há de si surpreender.

 

O grau de dificuldade seu corpo é quem vai dizer e no fim vem a melhor parte, um casulinho antes de nascer. O pano te envolve e te embala, em um relaxamento muito gostoso. Você que superou desafios, vai sair de lá orgulhoso.

 

Adorei o Fly Yoga, do espaço PranaBemEstar. No Santo Antonio, rua Paulo Afonso, 718. Experimenta, acho que vai gostar!

 

Vejam o vídeo da nossa prática para se inspirarem !!

 


https://www.youtube.com/watch?v=C6-FXihCABc&;index=6&list=PL1w2Hfjl0U02C40uZ9Vu9J1PARjvBMctI

 

 

Sobre o Prana Bem Estar

 

Núcleo aconchegante e acolhedor dedicado às práticas terapêuticas e milenares do Ayurveda e do Yoga; assim como outras terapias orientais tão ricas e aplicáveis no cotidiano. Trabalhamos também com a Terapia da Leitura Corporal e com eventuais workshops e vivências relacionadas ao auto-conhecimento e cura.

 

 

Temos como proposta oferecer a nossos cliente e alunos experiências de prevenção, cura e manutenção de sua saúde física, mental e emocional.

 

Procuramos trabalhar com o Ser Humano aliviando suas dores, ressentimentos e medos. Oferecendo ferramentas que proporcionem um pouco mais de equanimidade, vitalidade e bem-estar; tanto físico quanto emocional. Cuidando desses através da desintoxicação, energização e relaxamento.

 

 

MASSAGENS

 

Yoga Massagem Ayurvédica:

 

A Ayurveda é uma ciência de mais de seis mil anos, enquanto a Yoga Massagem Ayurvédica foi criada pela indiana Kusum Modak, aliando a sabedoria da tradicional massagem ayurvédica com a filosofia do Yoga Iyengar, resultando num trabalho eficiente e muito prazeroso. A técnica consiste numa mistura de toques suaves, profundos, longos e curtos, feitos com os dedos, com as palmas, com os cotovelos, com os pés que trabalham as cadeias musculares, as articulações, os órgãos internos e introduz alongamentos passivos do estilo da Yoga.

 


Leitura Corporal: A Leitura Corporal propõe a retomada da saúde pelo entendimento da emoção inscrita no Corpo. Consiste em uma técnica de massagem direcionada de acordo com a análise de desenho do corpo do paciente. Segundo a Leitura Corporal todo sinal ou sensação física permite que o "adoecido" encontre o caminho para o reequilibro, para a clareza, assimilação e aproveitamento de cada experiência vivida. Uma massagem que traz cura, bem-estar e muito relaxante.

 

 

 

Tratamento Facial Orgânico:

 

O tratamento de pele orgânico consiste na adaptação de tudo que encontramos na própria natureza, para que possamos usá-los de forma sadia nos tratamentos de pele. Mel, Própolis, Aveia, Cereais e integrais, minerais, dentre outros serão usados de forma coerente para um resultado satisfatório nos tratamentos.

 

Hatha Yoga para crianças e adolescentes:

 

As práticas do Yoga não somente ajudam a manter o corpo jovem, forte e flexível, mas também incorporam atividades mentais e disciplina que desenvolvem a atenção e a concentração. Estimulam as habilidades criativas que estão latentes dentro da criança e adolescente.

 

 

Yoga para crianças:

 

Obviamente, Yoga é uma forma completa de educação que pode ser usada com todas as crianças, porque desenvolve o corpo físico, a estabilidade emocional e intelectual e talentos criativos. É um sistema unificado para desenvolver a personalidade equilibrada e total da criança e do adolescente.

 

Importante lembrar que as crianças estão em pleno desenvolvimento psicomotor, e o corpo é uma via importantíssima na estrutura psíquica da criança, uma vez que cada função motora tem uma representatividade psíquica, e cada função psíquica corresponde a uma expressividade motora. Cabe ao professor de Yoga estar atento aos sentimentos e emoções expressados pelas crianças. Sejam por palavras, expressões faciais, corporais ou comportamentais. Respeitando sempre o limite físico corporal e psicológico da criança.

 

Crianças:04 a 12 anos (turmas separadas por faixa etária)

Adolescentes: 12 a 16 anos

 

 

Yoga Baby: A intenção do Yoga Baby, é de proporcionar às mamães e suas crianças um tempo exclusivo e único. Momentos de alegria, felicidade, prazer, liberdade e um contato diferenciado com os pais.

 

Praticar Yoga junto com seu bebê proporciona benefícios para ambos. É uma maneira deliciosa de voltar a praticar uma atividade física com a vantagem de poder ter o bebê ao seu lado. Fortalece o vinculo mãe/bebê e proporciona relaxamento aos dois. O bebê se distrai, acalma e relaxa com os toques, balanços, músicas, mantras e massagens. As posturas são adaptadas para que mãe e bebê façam uma dupla. A prática pode ser iniciada quando o bebê começa a ficar mais "firme", entre seis meses e continuar enquanto a dupla funcionar junta! E o mais importante: mãe relaxada e feliz = bebê feliz e tranquilo

 

Os benefícios são rapidamente percebidos através de um sono de maior qualidade, alívio das cólicas e a redução da inquietação e irritação.

 

A prática também fortalece o sistema imunológico e promove o desenvolvimento neuromuscular. O bebê cresce com consciência corporal e espacial, aumentando sua autoestima, autoconfiança e concentração.

Mamães com bebes a partir de 6 meses a 3 anos.

 

 

 

 

Iyengar Yoga: Aulas de Iyengar Yoga técnic a do Yoga que utiliza acessórios para auxiliar nas posturas e parte do princípio que, qualquer pessoa que busca Saúde e Equilíbrio do corpo e da mente pode e deve praticar.

 

 

Flyoga: é uma nova maneira de praticar Yoga, onde o professor usa tecidos presos no teto como uma ferramenta a mais para realizar os Asanas tradicionais do Yoga. Como a Hatha Yoga tem o intuito de melhorar a saúde física e mental, se relacionar melhor com o estresse do dia-a-dia, se conectar com o seu Eu interior, criando união entre corpo mente e alma.

 

Com o peso do corpo apoiado o aluno pode perceber o alinhamento correto da postura através do relaxamento ao invés do esforço, podendo encontrar um estado de paz e uma sensação de leveza corporal. Quando praticamos usamos a gravidade a nosso favor deixando a energia fluir livre.

Flyoga desenvolve força e flexibilidade na mesma medida, e sem impacto.

 

Beneficícios:

1. Alivia tensões musculares.

2. Ajuda na mobilidade das articulações.

3. Aumenta a circulação sanguínea.

4. Aumenta a concentração.

5. Alonga e fortalece os músculos do abdômen.

6. As invertidas são praticadas sem comprimir a coluna cervical.

7. Alonga a coluna vertebral, criando espaço entre as vértebras.

8. Ajuda a vencer medos.

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




Ainda sobre o Sachcha Prem que conhecemos pela Jornada #BetterLifeWithYouTour, hoje vamos falar um pouco sobre a prática de Vinyasa com a professora Karuna. Resolvemos escrever este texto compartilhado por mim e pela Fernanda Mann para que vocês consigam absorver a experiência de cada uma de nós separadamente. Fizemos a mesma aula e ambas saímos com aquela cara de felicidade e bem-estar, típica de uma boa prática de YOGA.

 

 

Por Simone Las Casas:

 

No início da aula, confesso que fiquei um pouco assustada quando Karuna disse que a aula seria em ritmo "hard". Contou que seus alunos estavam pedindo ásanas mais fortes e que iríamos trabalhar bem o corpo. Logo quando começamos, me envolvi completamente e deixei a expectativa de lado, envolvendo-me no ritmo da respiração conciliado com as posturas.

 

A fluidez da prática de Vinyasa é o que mais me encanta neste estilo de prática. A aula é forte e não tem muitas pausas. A flexibilidade é exigida de forma intensa e sentimos que o corpo vai se adaptando aos poucos a cada postura com a repetição dos ásanas. Uma condução agradável e, sem dúvida, muitos benefícios físicos e mentais adquiridos pela sequência.

 

 

Por Fernanda Mann

 

Facilidade para estacionar e um fresquinho gostoso do alta da serra. A turma estava cheia de colegas de todos os tipos. Fizemos uma boa e forte prática respiratória ao som do vento que assobiava lá fora. Com a mente quieta começamos a nos colocar nas posturas (ásanas). São bem parecidas com as que fiz nas aulas de Hatha, mas se tivesse que definir com uma palavra esta modalidade, eu diria fluidez e acho que acertei, pois a professor me explicou que seu significado é “passos inteligentes”.

 

Karuna tem uma voz doce e suave, mas não se engane, ela vai te fazer suar… As sequências são quase como uma dança que vai fluindo naturalmente. É uma aula mais puxada, mas como na yoga você respeita os limites do seu corpo, mesmo um iniciante, pode sim optar por essa modalidade.

 

Com respeito, paciência e consciência corporal essa prática pode trazer além de todos os benefícios da yoga, um avanço mais rápido nas posturas. Mas não se apresse… O objetivo não é esse e para acalmar o coração vamos então para o relaxamento, mais uma vez ao som do abençoado vento. Tem cobertinha para se aconchegar. É só você chegar! Mais informações: Sachcha Prem

 

 

Prem Karuna (Luiza Angelini)

  • Professora certificada 500 RYT pelo Yoga Alliance. Possui formação em Vinyasa Flow (USA), Kriya Yoga (CA) e Hatha Integral (BR).
  • Estuda yogaterapia há 4 anos na India, indo à Chennai (antiga Madras) a cada 6 meses. Estudou yogaterapia 3 anos na Instituição Sannadhi (SKY) e atualmente estuda com o Doutor Chandrasekaran pelo Vinyoga Healing Foundation.
  • É formada em Ciências Biológicas e da Saúde (PUC-MG) e mestre em Ecologia pela UnB. Desde os 17 anos de idade pratica meditação e estuda as escrituras védicas. Há 5 anos, largou a biologia e se dedica exclusivamente para os estudos e práticas do yoga. Tem iniciação em Kriya Yoga de Babaji Nagaraj e na linhagem Sachcha do Sri Prem Baba, seu mestre espiritual e do Sachcha Prem.
  • Tem formação em massoterapia ayurvêdica, terapia floral. Faz pós-graduação em Terapia Ayurveda, Experiência Somática.
  • Fundou e dirige o Sachcha Prem.



COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


por Fernanda Mann


Essa semana fui em um espaço que a Si me apresentou. Lá encima, bem no alto do bairro mangabeiras, grudadinho na Serra do Curral, que dá um pouco a impressão de que não estamos mais imersos ao caos da cidade grande.

 

 

Minha expectativa era de uma casa enorme, talvez luxuosa. Estacionei com facilidade, pois há várias vagas na porta. Quando o portão de ferro se abriu minha primeira visão foi de uma laranjeira repleta de frutos muito coloridos. Isso me trouxe uma ótima primeira impressão. Entrei pelo caminho que cruza o pequeno jardim e fui reparando no capricho em cada detalhe do local. Não se tratava de um lugar ostensivo, como imaginei. Ao contrário, é bem simples, mas bastante aconchegante, com muito verde, poltroninhas convidativas e uma sala ampla e confortável para a prática de yoga. Participei de duas aulas em diferentes momentos e estilos, com vários outros alunos, mais de dez.

 

 

As aulas foram a de acroyoga, com a professor Luana Leão, que já trouxemos para vocês nesta jornada, e a outra de Vinyasa, com a Karuna, que trarei até o final dessa semana. Durante os primeiros e últimos momentos da aula ouvi o canto dos pássaros e o barulho do vento, uma delícia! Mas também alguns ônibus passaram, o que traz o desafio sempre presente nos relaxamentos da yoga, de nos desprendermos dos sons que não são vitais para nós.

 


O Centro de Yoga e Terapias Integrativas Sachcha Prem, oferece diversas atividades, práticas e terapias com o objetivo de despertar a auto consciência, a vivência e conhecimento de métodos que melhoram a saúde e elevam o espírito. Os profissionais foram muito atenciosos. Ali acontecem aulas de yoga todos os dias em diferentes horários e estilos. Além disso, oferecem diversas outras práticas, como meditação, dança circular, reiki, consultas ayurvedicas, entre outras. Estas, não cheguei a experimentar, mas pretendo voltar, pois senti muita seriedade no propósito do espaço, chamado Schcha Prem em homenagem à linha Sachcha e ao guru Prem Baba.

 

 

O significado das palavras que lhe dão nome, são respectivamente, verdade, sinceridade e amor, o que explica seu objetivo e crença maior no despertar do amor verdadeiro. Achei interessante a diversidade de oficinas e cursos que oferecem. Todos comprometidos com o fomento de um mundo melhor e de práticas mais saudáveis e sustentáveis, seja consigo mesmo, nas relações humanas ou mesmo na prática diária, a exemplo da oficina de compostagem, entre outras que podem ser conferidas na agenda que está no site do espaço.

 

Existem terapias individualizadas, com direcionamento à cada interessado, o que chamam Yogaterapia. Essa também não experimentei ainda, mas deve ser interessante, pois verificam qual sua maior necessidade para um direcionamento específico de cura física ou psicologica. Por enquanto, é isso. Uma vontade de conhecer mais, pois senti firmeza no propósito.

Sobre as aulas de Yoga, os horários são:

Segunda e Quinta: 7h30 - Hatha Integral Clássico - Professora Márcia Pacheco
Segunda e Quarta: 12h - Hatha Integral Flow - Professora Prem Karuna
Terça e Quinta: 8h30 - Hatha Integral Flow - Professora Prem Karuna
Segunda e Quarta: 18h30 - Acro Yoga - Professora Luana Leão
Segunda a Quinta: 20h - Vinyasa Flow - Professora Prem Karuna
Horário a combinar: Yogaterapia - Professora Karuna

 



TAGS:


COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


por Fernanda Mann

Não se trata de uma yoga convencional, é fato! Mas confesso que foi uma das coisas mais legais que já fiz em minha vida. Morri de amores pela prática e pela professora, Luana Leão. A gente chega na aula com um friozinho na barriga, sem saber muito bem o que está por vir, pensando se vai dar conta ou não. Aí espia os outros alunos… Nenhum tinha pinta de acrobata, ginasta ou algo do tipo.

 

 

Chega a professora, linda, forte, mas magrinha, esguia. Nada de músculos estourando a pele. Com uma voz doce e suave, de menina mesmo, ela começa a aula. Os primeiros ásanas são como os das aulas tradicionais. Um pouco de respiração para acalmar a mente, atentar-se à si mesmo e colocar-se em estado presente. As muitas posturas vão aquecendo o corpo e nos trazendo cada vez mais para um estado consciente e presente, de concentração e conecção com o corpo.

 

Passado um pouco mais que metade da aula, começam os desafios. Você escolhe um colega, as vezes dois ou três e com a ajuda deles vai ganhando mais alongamento, mais flexibilidade e principalmente, maior confiança. É muito bom contar com seu “anjo”, o parceiro que fica ao lado guiando o movimento entre a dupla ou trio, saber que tem alguem ali caso você deslise ou desequilibre, uma mão amiga está pronta a te ajudar. O melhor de tudo é perceber que você dá conta.

 

Alguns dos integrantes da turma nunca haviam praticado outras modalidades de yoga e mesmo um pouco enferrujados não deixaram de tentar e o mais incrível, conseguiram! Você não vai sair da aula sem a sensação de conquista, porque com toda certeza vai supercar algum desafio. Aí vem um cançaso gostoso, uma sensação de bem estar e você está pronto para o relaxamento. Já quero voltar!


 

Luana morou em Los Angeles por dois anos, onde se dedicou à prática e estudos do Power Yoga e Vinyasa no Yoga Works. Formou-se na primeira modalidade pela Bryan Kest Power Yoga e praticou a AcroYoga com vários dos melhores acroyogis do paíes, certificando-se como professor pale Acro Yoga Inc. em Guadalajara, no México.




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


por Fernanda Mann


É uma grande satisfação fazer esta primeira parada da jornada no Eterno Movimento, o primeiro espaço de yoga que frequentei em minha vida, fonte na qual mato minha sede até hoje. A responsável pelo espaço é a Solange Pacheco, minha eterna mestra, professor há mais de 17 anos. O espaço ficaem Belo Horizonte, no bairro Belvedere. É uma sala intimista e aconchegante onde acontece a prática de Hatha Yoga, Meditação, Reike e Constelação Familiar.

 



A Hatha Yoga é uma linha bem tradicional e completa. Indico para todos, mas principalmente para aqueles que estão tendo o primeiro contato com a yoga, pois permite um conhecimento real e profundo de sua filosofia e prática. Também conhecida como yoga da força, tem o poder de curar, de erguer, de apaziguar e libertar. Seus ásanas, posturas corporais, junto aos pranayamas, exercícios respiratórios desenvolvem a consciência corporal e além do alongamento e fortalecimento muscular, desenvolvem o equilíbrio corpo-mente-alma, trazendo benefícios à saúde e à qualidade de vida que vão além daquele momento em sala. Com o tempo assume-se uma nova percepção em relação ao corpo, ouvindo-o e respeitando-o com maior facilidade. Trata-se de uma vivência tranquila, onde o corpo vivência momentos de força e intensidade, até o complete relaxamento. Pode ser praticada por todos os gêneros e idade, trazendo igual benefício a todos os públicos. A Hatha ainda estimula a meditação, que com a prática diminui a agitação mental até seu complete silêncio, o que diminiu o estresse e é rico complemento no tratamento de diversas doenças.

 

 

Bom… Além disso, o espaço oferece o Reiki, terapia reconhecida pela Organização Mundial da Saúde e que a Solange Pacheco aplica com louvor. Só experimentando para entender o bem estar e a potencial desta aplicação de energia com as mãos. O resultado é a harmonização de todo o corpo. Já a Constelação Familiar é uma terapia sistêmica que procura ajudar o individuo a encontrar e desobstruir seu caminho através da consciência da herança recebida dos seus ancestrais.

O Eterno movimento, além das aulas semanais, promove cursos de Formação para professors de Hatha Yoga, Yogaterapia e de Reike para terapeutas ou para aqueles que buscam simplesmente a auto aplicação.




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

A visita de hoje foi em um lugar muito especial, que amei de paixão conhecer. O Yoga Flow fica em Vila Nova conceição, um bairro super charmoso de São Paulo. A rua é estreita e bem arborizada, o que proporciona uma vista gostosa para a copa das árvores, dando a impressão de estarmos confortavelmente em meio à natureza. Uma casa de 03 andares muito bem decorada e aconchegante, salas amplas e muito bem equipadas. Um refúgio para diversos tipos de prática de yoga em meio ao “caos organizado” de São Paulo.

 

 

Fiquei impressionada com a variedade de turmas e professores. Escolhi a aula de Vinyasa, pois nunca havia praticado esta modalidade. Já começo este post contando para vocês o quanto eu amei a prática, a professora, a maneira de condução da aula, o clima da sala...tudo !!

 

 

Desde o momento que chegamos em uma escola de yoga, é importante ter o ambiente cuidadosamente preparado para que nossa mente já vá se acalmando. Um chá quente e muito saboroso, almofadas em contato com o solo, inspirações indianas na lojinha de adornos, bons livros para leitura....tudo isso faz parte da ambientação de um lugar destinado ao auto conhecimento e à sincera dedicação para aprender mais sobre esta cultura oriental.

 

 

 

Fiz meu cadastro para 03 aulas, peguei um tapetinho para a prática na recepção, degustei um delicioso chá me preparando para a aula. Sempre fico encantada com os adereços e equipamentos disponíveis para a venda em locais como este: roupas de yoga, artigos tibetanos e indianos, óleos essenciais, mat’s, almofadas, toalhas. Realmente dá vontade de levar tudo para montar nosso templo sagrado em casa. Acabei me contendo e comprei um livro sobre Iyengar, metodologia que estou estudando mais a fundo.

 

 

De acordo com o próprio site deles, O YogaFlow é muito mais do que yoga, pois apresenta um leque de consultas e procedimentos de ayurveda, a milenar tradição de saúde indiana que eu amo. Além disso, consultas diversas, massoterapia...uma ambiente completo e super bem preparado para proporcionar saúde, bem estar e revitalização de corpo e mente por completo. Exatamente o que precisamos nos dias de hoje!! São tantas as opções de prática e conhecimento que farei mais de um post para vocês contando um pouco do que eu aprendi sobre cada estilo de prática.

 

 

Escolhi a Vinyasa com a professora Fernanda Cunha e me encantei pelo estilo da aula. Ela começou com uma reflexão profunda que dizia o seguinte. Quando algo ruim acontece, você tem 03 escolhas: você pode deixar isto definir você, destruir você ou fortalecer você.” Conduziu a aula encima desta reflexão, guiando cada movimento e postura sincronizados com a respiração e com este objetivo maior de conexão com a nossa essência para descobrir qual o caminho estamos tomando quando algo aparentemente “ruim” acontece.

 

Parece que esta reflexão foi direcionada exatamente pra mim, pois estava percebendo o quanto meus pensamentos “negativos” estavam absorvendo todo o meu ser durante aquele dia. Foi como um balde de água fria despejado nos meus pensamentos e uma sincronicidade e entrega absurda aconteceram quando deixei que aquelas palavras e a deliciosa condução da aula me guiassem no flow.

 

Saí dali renovada, com uma consciência bem diferente sobre o caminho natural dos meus pensamentos e consciente da minha essência imutável, inabalável. Conversei um pouco com a Fernanda para ela me explicar sobre o estilo Vinyasa e descobri que há pouco tinha assistido um vídeo super completo dela sobre este tema.

 

Vinyasa é um estilo surgido nos EUA inspirado pelo Ashtanga Yoga. Não possui uma série fixa de posturas e as aulas são bastante fluídas e dinâmicas. Em geral são acompanhas por música que o que dá maior ritmo à prática. Tem enfoque na coordenação e concentração. O nome, vinyasa flow, é devido à forma em que as posturas se encadeiam de forma contínua se tornando quase como uma dança. Colocar de forma especial as posturas, construir o todo. Existe uma preparação completa para chegar na postura final. É um estilo que veio do Asthanga, mas com um pouco mais de liberdade de criar as variações.

 

Já estou doida para voltar no Yoga Flow. E vocês, vem comigo?!




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Desde que eu programei minha ida para SP, o My Yoga estava na rota. Estava há muito tempo louca para conhecer este lugar lindo que foi indicação de uma amiga. As atividades profissionais ficaram para o dia e deixei as noites livres para praticar o que eu mais amo nesta vida: Yoga!!! E querem saber a verdade?! Adoro quando as experiências muito mais do que atendem as minhas expectativas, mas realmente me surpreendem por completo!!!

 

 

Uma das coisas que mais me surpreendeu foi a cromoterapia nas salas de prática. Há algum tempo venho pesquisando sobre o CromoYoga e sei quanto é fantástico associar estes dois níveis de cura. As salas são equipadas com diferentes sistemas de cromoterapia, mas cada um com seu efeito particular. Nesta da foto, são pequenas tiras de led que fazem uma combinação de quase 1300 cores, conseguem imaginar?!

 


No primeiro dia, selecionei a aula Yoga Workout. Estava curiosa para praticar esta modalidade mais vigorosa e “agitada”. Conversando com o Deva, proprietário do espaço junto com sua esposa Nanda, falei de um cisto sinovial que está me incomodando um pouco no punho e achamos melhor eu ir para a sala de cima praticar a aula Restorative/Back Care. E foi a melhor experiência que tive nos últimos tempos. Apesar de há anos praticar Yoga, nunca tinha tentando com os penduradores e achei realmente fantástico. Por enquanto, vou dar apenas um gostinho para vocês com as fotos, mas logo farei um post mais completo sobre os penduradores, que tive que trazer para casa para colocar na minha sala.

 


Para a minha surpresa quando estava confirmando a aula do dia seguinte, eles me informaram que excepcionalmente haveria um workshop naquele horário. E imaginem!? Workshop de invertidas!! Não pensei duas vezes para me matricular, pois sei exatamente os benefícios dessa ásana, considerada a mãe das ásanas. Tive uma experiência muito marcante neste workshop pois tomei a decisão sincera de praticar o máximo de posturas invertidas que eu conseguir na semana. Em breve conto para vocês os benefícios que vou experimentar com este desafio.

 

 

Além dessas práticas que fizeram total diferença na minha vida, fiquei encantada com a lojinha. Produtos delicadamente escolhidos a dedo para cuidar da sua saúde física e mental. No segundo dia, tive que passar direto para não comprar mais alguma coisa. Produtos deliciosos e super saudáveis, lindos tapetinhos de yoga, toalhas anti-derrapantes, rechauds, garrafinhas....e o conceito de Superfoods preparadas com muito cuidado.

 

 

Juro! Queria experimentar tudo. Pelo cheio e pelo aspecto, pude perceber o quanto se tratava de uma alimentação fresca e saudável, rica em nutrientes e cheia de vida e energia. Experimentei o leite de amêndoas, tâmaras e baunilha e achei maravilhoso!! E o melhor de tudo, amêndoas vitaminadas, isto é germinadas.

 

 

A premissa do conceito que eles criaram de Superfoods é simples: certos alimentos tem um valor nutricional extraordinário. Incorporados à sua dieta, podem trazer profundas mudanças no seu bem-estar, níveis de energia e saúde geral. As superfoods farão você se sentir bem, ficar com ótima aparência e se deleitar na hora de comer. E foi por isso que levei comigo um pouquinho desses alimentos embalados à vácuo.

 

 

Nos momentos de espera ou para fazer seu lanche, ao My Green Bar encaixa perfeitamente no ambiente. Vários livros estão à disposição para uma boa leitura ou apenas para desfrutar as figuras das ásanas. O cardápio me deixou fascinada, tirei várias fotos para que seja um espelho de alimentação para mim. Como estava praticando, não podia comer de tudo. Então, fiquei só com o pão mediterrâneo com ervas e o quiche de batata doce e queijo de cabra. Meu Deus, um sonho!!

 

 

 

Neste espaço, eles promovem diversos cursos de culinária indiana, alimentação detox e experiências deliciosas e nutritivas, sempre com ingredientes especiais e orgânicos. 

 

Confesso, não queria ir embora. Fiquei encantada com este centro contemporâneo de yoga e estilo de vida consciente, que oferece um espaço especial para aprimorarmos o corpo, nutrir as idéias e se conectar com aquilo que mais importa: a sua essência. Saí de lá propondo para os queridos Deva e Nanda uma franquia em Belo Horizonte. Quem sabe! Você frenquentaria?!?

 

 

Entre no Site do My Yoga e enjoy!!

 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Bali é famosa por suas massagens relaxantes e remédios antigos de cura e nenhuma viagem à ilha é completa sem experimentar Melhor Spa do mundo, Thermes Marins Bali, tal como foi votado pelos leitores da Conde Nast Traveler. Oferecendo tratamentos exclusivos inspirados pela talassoterapia francesa e remédios tradicionais orientais, Thermes Marins Bali tem um conjunto principal de spa em 22.000 metros quadrados no AYANA Resort and Spa Bali. O Spa do AYANA dispõe de 36 salas de tratamento e o maior Aquatonic ® Água do Mar Jet Pool do mundo. 

 

 

Para visitar o Spa Ayana Termes Marins, que fica em Jimbaram - Bali, eu havia enviado um email para confirmar o horário de 10:00 e eles não não responderam. Acabei chegando um pouco atrasada por causa do trânsito e eles já estavam me aguardando para a massagem cortesia e fui muito bem recebida pela chefe de recepção e pela equipe do Spa, que me convidou para sentar na espera flutuante ao ar livre, e me serviram chá de gengibre gelado, uma delícia para refrescar no calor. Toda a imensa área do hotel tem uma incrível vista para o mar, e carrinhos de golfe te conduzem pelas dependências do hotel em horários determinados, mais ou menos 10 em 10 minutos.

 

 

A ficha de anamnese do Spa é simples, mas possui todas as informações necessárias para um excelente atendimento. Após o preenchimento da ficha, fui conduzida ao vestiário e apresentada ao meu escaninho, que possuia todas as ammenitis necessárias para o conforto do hóspede, como roupão, toalhas, caixinha para coisas pessoais, kit higiene, secador de cabelo com produtos à disposição, etc. No vestiário havia uma pessoa à disposição para te auxiliar no que fosse necessário.

A terapeuta já estava me aguardando do lado de fora da sala quando sai, e conduziu-me para uma das 39 salas que eles possuem nesta parte superior do Spa. A massagem escolhida por eles para esta experiência foi a Deep relaxation massage - pegar descrição no menu.

 

 

A terapeuta seguiu todos os protocolos de atendimento de forma brilhante, perguntando sobre o volume da música, a temperatura da sala e se eu gostaria de aquecimento na maca ou não. Neste Spa, não houve a opção de escolher o óleo e foi usado um creme de baunilha com excelente textura e absorção, ao contrário de todos os outros Spa´s visitados aqui, que usaram diferentes tipos de óleo para a realização das massagens.

 

A técnica foi completa e extremamente relaxante. A terapeuta conduziu a massagem como um balé, deslizando movimentos em sincronicidade por todo o corpo. Usou algumas manobras da técnica havaiana lomi lomi e deslizamentos com o cotovelo. Finalizou com uma toalha grande quente para tirar o excesso de creme e me deu uma garrafinha de água em seguida, ainda sentada, o que foi otimo pois estava com sede. A massagem foi feita com as cortinas abertas e a sala clara, pois todas as salas tem um jardim de inverno muito bem montado.

 

 

Fechando com chave de ouro, degustei um chá de gengibre e mel quente desta vez e fui conhecer a lojinha do Spa, qual me apaixonei. Óleos essenciais, para massagem, cds, incensos, sais de banho, aromatizadores e lindos mimos para levar para casa. Fiquei com o delicioso chá de gengibre e alguns Cd´s para os Spa´s Expertise.

 

Na saída do Spa conferi rapidamente a lanchonete. Coisas básicas mas muitas frutas, sucos orgânicos e poderosos para revitalizar o spaziano e prepará-lo para o lindo dia que estava fazendo.

 

A experiência no Ayana Spa Termes Marins Bali não poderia ter sido mais perfeita!! O Spa fica em Jimbaram e a vista é incrível. Serviram-me chá de gengibre gelado no início e chá de gengibre quente no final da DEEP Relaxation Massagem, uma combinação de manobras especiais balinesas com a técnica havaiana lomi-lomi. Perfeita para ativar a circulação linfática e eliminar o estresse, farão parte dos novos menus by #expertisespaconsulting

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

A viagem para a índia cumpriu e superou minhas expectativas. Lugares maravilhosos, experiências únicas que transformaram minha maneira de enxergar as pessoas e lidar com a fé. Devo ter sido indiana na encarnação passada, pois realmente sempre fui fascinada com tudo que envolve a Índia e os indianos e me senti em casa. Por este motivo talvez tenha sido ainda mais especial minha experiência, apesar de sempre ser um choque de realidade estar naquele país. Tudo que você imagina, acontece em proporções maiores. Se existe ou não alguma projeção, há uma possibilidade enorme de virar tudo ao avesso e não ser nada daquilo que você pensava.

 

Em termos, acontecerem muitas coisas quais eu imaginava. Não devemos criar expectativas nunca em nossas vidas, mas quase impossível em uma viagem como esta que eu sempre sonhei e desejei. E foi exatamente a maior das expectativas que, em um primeiro momento achei que não tivesse acontecido, mas agora consigo sentir as transformações acontecendo e se expressando.

 

 

Pensei que esta viagem iria mudar a minha vida por completo. Imaginava que alguma coisa de repente iria acontecer para tirar meu chão e me transformar em outra pessoa. E não foi bem assim que as coisas aconteceram enquanto eu estava lá, mas é exatamente como me sinto agora. Sem chão e revendo muitos conceitos. "Sem chão" para mim não significa estar desesperada, com medo ou perdida. Mas sim, com bases estremecidas para gerar mudança. Revendo atitudes e valores. Refazendo minhas escolhas e modo de agir.

 

A viagem estava indo tranqüila até certo ponto. Nos últimos dias, tive uma super experiência no Matrimandi, que fica na Aurovile do Sri Aurobindo e The Mother e ainda vou contar para vocês. Mas foram os fatos que aconteceram depois que me fizeram repensar algumas coisas. Resumindo: conheci um "guru" logo em seguida que disse que eu não estava no "caminho", que meus chakras estava desequilibrados e que eu precisava voltar para mim mesma. Tá, ok!! Aí sim fiquei impressionada!!

 

E questionei muito qual é o verdadeiro caminho!! O que significa estar ou não no caminho? Caminho para você é uma coisa e para mim pode ser outra totalmente diferente. Talvez estejamos falando de alinhamento....ou de conexão. Talvez de coerência...somente nós mesmos podemos saber qual o caminho estamos conduzindo as nossas vidas. O importante é sentir que você está indo na direção certa. Se está se sentindo bem e confortável, alinhado com seus propósitos e valores, siga em frente. Se alguma coisa te incomoda, pode haver algo errado.

 

 

O caminho pode ter altos e baixos, vários obstáculos e muitos pontos positivos e negativos. O importante é ter o objetivo claro e trilhar cada passo com alegria e sabedoria. Talvez nunca chegaremos no fim, no encontro com a felicidade eterna e plena. Mas a cada dia que passa, estou descobrindo que cada passo e distância percorrida é o motivo maior e o próprio fim em si mesmo da minha vida!!!

 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

O Spa Karma Kandara foi bem receptivo desde o meu primeiro email informando que eu sou consultora e estaria visitando os melhores Spa´s de Bali. Me ofereceram como cortesia um ritual balines, com massagem, esfoliação sauna e jacuzzi e a experiência foi completa.

 

 

 

O hotel é lindo, várias vilas conduzidas por um caminho que me lembrou as vielas da Toscana. Um carrinho de golfe conduz os hóspedes pelas dependências do hotel, mas preferi descer a pé para o Spa para observar melhor o ambiente. Chegando próximo ao local destinado ao Spa, fiquei encantada com a vista paradisíaca do mar envolvendo toda a estrutura que fica suspensa em uma colina.

 

 

São dois bangalôs destinados para massagem, um de casal e um solteiro, além da estrutura da recepção, piscina e sauna. O fitness fica em um bangalô maior separado, também suspenso entre as árvores. A recepção não muito grande, mas muito bem montada com produtos pontuais pra a
venda.

 

 

 

 

Na entrada enquanto eu preenchia a ficha de anamnese, serviram chá de gengibre quente com uma pequena bolinha feita de melancia, além de toalhinha refrescante, comum nos Spa´s daqui. A recepcionista me chamou pelo nome e se apresentou me conduzindo para um dos bangalôs e confesso que fiquei extasiada com a sensação de realizar a massagem como se flutuasse no mar, um barulho delicioso das ondas quebrando ao longe.

 

 

Ela começou a massagem balinesa com toalhas pequenas quentes limpando meus pés e a partir daí, me entreguei por completo à experiência. Quando acabou a massagem e fui conduzida à sauna, fiquei ainda mais encantada com o lugar, totalmente privativo no alto da colina, onde fiquei muito à vontade. A terapeuta trouxe água de coco com limão para degustar durante os 20 minutos de sauna seca com uma vista impressionante. Achei que a música agitada que tocava dentro da sauna não condizia com o momento e resolvi ficar em silêncio, apenas com o barulho das ondas quebrando lá embaixo. Da varanda em frente a sauna, dava para ver o teleférico que dava acesso aos hóspedes para a praia e infelizmente não tive tempo para descer.

 

 

Fiquei apreciando a água quente da jacuzzi com a vista literalmente infinita para o mar de águas claras e aproveitei para fazer uma sessão de fotos de yoga depois pois a vista estava impressionante. Me ofereceram um chá para fechar o atendimento e dessa vez, uma bolinha de cookies. Infelizmente não tive tempo de apreciar o menu light spa que me ofereceram no lindo restaurante do hotel. Era hora de ir ver o pôr do sol no templo Uluwatu, que fica há 10 minutos do hotel.

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

 

Engraçado como o medo realmente trava a gente e nos paralisa. Eu já tinha desistido da experiência de mergulhar uma vez porque estava chovendo, como contei aqui. Agora estava com um imenso frio na barriga para marcar a segunda tentativa. Talvez porque estava sozinha em um lugar totalmente novo, talvez porque desconhecia a região e as águas que poderia enfrentar. Ou simplesmente estava com medo!! Costumo dizer ultimamente que a idade está me deixando medrosa, há alguns anos atrás fazia qualquer tipo de aventura que me colocassem na frente. Mas independente da idade em que estamos, o medo é puro e simplesmente MEDO.

 

 

Lembrei de uma passagem do livro Flua e fiz questão de reler: "É fundamental entender que o medo não existe de fato. Ele é uma ilusão da nossa mente. Aliás, não digo que o medo não exista; ele está presente sim, mas na sua mente. E sua mente é poderosa: ela cria e torna as coisas aparentemente reais. Se pegarmos o medo e dissecarmos, descobriremos que não existe nada. Ele não se sustenta. É uma das maiores ilusões do ser humano. O medo não está baseado na verdade." Loius Burlemaqui. Era exatamente isso!! Realizei que não havia nada a temer, tomei coragem e fui, mesmo lendo as observações que meu guia de viagens fazia, alertando que todos os anos morrem algumas pessoas no local. Uma hora de barco até o local que eu escolhi para este mergulho, Nusa Penida.

 

 

E eu não podia acreditar que seria tão emocionante chegar até a ilha!! O tempo não estava nada bom e a lancha passou por uma área de instabilidade do mar incrível, ondas de uns 05 metros. De repente, estavam todos se segurando onde conseguiam no barco e fiquei um pouco tensa quando vi a cara assustada do condutor e do ajudante. O barco subia nas ondas e batia com força na volta, foi preciso desacelerar os motores e mesmo assim, um deles quebrou. Foi uma aventura e tanto, gostaria de ter filmado o momento para mostrar pra vocês, mas estava com as mãos bem ocupadas me segurando.

 

 

Agora sim estava preparada para qualquer coisa e o mergulho foi perfeito. Fiquei tranquila quando soube que tinha um instrutor só para me guiar, o Agus, que foi uma gracinha comigo desde o início, me tranquilizou e estava o tempo todo do meu lado. O "manta point" como é chamado pelos locais é muito interessante e cheio de mantas, arraias gigantes. Confesso que ainda estava adaptando com o equipamento e também com meu óculos, que ficou um pouco embaçado e não conseguia desembaçar a 15 metros de profundidade. A pressão no ouvido também incomodou um pouco, mas logo me adaptei. Acho que era o medo dessa dor que eu temia. Vimos uma arraia, mas com os óculos um pouco embaçados, não aproveitei 100%.

 

 

Descansamos por 45 minutos e partimos para o outro ponto "cristal bay", uma bahia linda, um aquário enorme. Dessa vez, descemos 17 metros e a experiência foi sensacional. A dor no ouvido incomodou novamente, mas logo passou. Meus óculos estavam perfeitos e me senti como um peixe!! Vimos mais uma manta gigante, que passou pertinho de mim. Muitos corais diferentes e peixes multi-coloridos. Sai da água com um sorriso radiante no rosto, muito feliz por ter vivido mais esta experiência. O mergulho é algo único que te deixa em contato profundo com a natureza e com os sons do universo. Vale a pena a aventura!

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

A prática bem cedo à beira mar foi incrível!! O nascer do sol em Nusa Dua é perfeito, mesmo o céu não estando tão claro. A bahia fica calma e convida à reflexão de sentimentos mais profundos. As nuvens refletidas na água, um silêncio absoluto, perfeito para a prática de yoga. Me senti completa, inteira e disposta a realizar algumas descobertas e ir mais e mais a fundo nesta jornada sozinha, que está sendo muito válida para mim

 


 

Nusa Dua pela manhã é incrível com a maré baixa. Comumente é uma bahia mais calma e às 06:00 ainda não tem muitos turistas, talvez apenas alguns corredores que tornam as praias ainda mais fantásticas pra mim. Um clima saudável e tranquilo convida à prática de esportes, principalmente aquáticos. Amei as placas de evacuação caso ocorra Tsunami, me dá uma sensação gostosa de frio na barriga.

 

 

Os vendedores não chegam muito cedo, mas por volta de 09:00 já estão te oferecendo lindos colares, conchas, pinturas e outras lindas coisas estilo balines.

 

Muitas agências ficam à beira dos resorts oferecendo passeios de barco, mergulho, snorkel, aquafish, pranchas e caiaques para alugar. Você pode escolher o seu favorito pois eles tem qualquer um que você puder imaginar.

 

É também um "surf point" incrível e ideal para quem está começando. Algumas escolas de surf dão aulas para turistas por um preço super em conta, ou você simplesmente pode alugar a prancha que mais lhe convier: bodyboard, paddle ou surf. Eu fiquei só no paddle desta vez, pois estou desenvolvendo um projeto de SupYoga e YogaDetox junto com a querida Bianca Teixeira. Se tivesse mais tempo, sem dúvida ia relembrar os bons momentos de surf que tive na Austrália com as lindas irmãs Marcela e Leticia Maia, que renderam muita história para contar.

 

De tarde, sai para visitar dois Spa´s fantásticos, o Ayana e o Karma kandara. Tantas coisas para escrever sobre estes lugares que é melhor aguardarem um post só para eles. Fiquei muito feliz em ter sido convidada por estes Resort´s incríveis para escrever sobre seus Spa´s.

 

 

No fim do dia, passei em Padang Padang, outro point sucesso para o surf com muitos turistas e também brasileiros. Para chegar até a praia, temos que descer por entre uma fenda na pedra, onde construíram tipo uma escadinha. Lá embaixo, areia muito branca e água muito clara, transparente e realmente o paraíso do surf. As ondas quebram redondas e na medida certa para iniciantes e profissionais. Alguns fotógrafos aproveitando os melhores shots, hippies e curiososo aproveitando a pequena mas encantadora praia.

 

 

 

Mais uns 05 minutos de carro e estava em Uluwatu, um templo com localização espetacular: no alto das falésias, extremo sul de Bali, debruçado sobre as lendárias ondas de Ulu Watu. Este templo é considerado um dos três templos à beira-mar mais sagrados de Bali, e a sua mata é habitada por centenas de macacos exibicionistas e cleptomaníacos. Quase levaram o tripé da minha câmera e não me deixaram meditar em paz por um minuto. Eles querem sacolas, sandálias ou qualquer outro objeto que esteja dando bobeira. Eles vem até você e puxam seu sarong (essencial para a visita ao templo), sua bolsa e realmente não podemos dar bobeira. Dizem que os guias instruem os macacos a fazerem isso e depois cobram do turista para reaver os objetos. Não é possível!!

 

 

 

 

Todos os dias, no pôr do sol, rola a apresentação de um espetáculo de dança kecak com fogo, onde são protagonizados trechos do Ramayana, o épico hinduísta indiano, com um coral hipnotizante de 70 homens. Eles cantam, fazem um sol super especial com a própria voz, dançam e representam. Eu estava lá as 18 hs e pude ver este show com o pôr do sol acontecendo e deixando a paisagem ainda mais incrível.

 

 

Uma cena muito comum é ver os balineses colocando oferenda aos deuses nas calçadas e nos templos em pequenos cestos feitos artesanalmente com palha. Mesmo em templos turísticos, acontecem rituais hindus e entrega de oferendas todos os dias e é possível participar como observador dessa prova de fé e devoção.




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Acordei achando que iria sair para mergulhar e confesso que estava um pouco tensa. Quando vi que estava chovendo, relaxei e cancelei o mergulho, quer melhor desculpa!? Depois ainda vou contar para vocês como esta história acabou. Fechei um tour com a agência de turismo que fica dentro do hotel Meliã Bali e sai para um longo passeio. As agências cobram em média 60 dólares pelo tour de um dia ou você pode contratar um taxi por conta, que fica tipo 45 dólares.

 

 

 

A primeira parada foi o templo Tanah Lot, um dos mais sagrados templos de Bali, mais turístico e cheio. Construído no alto de uma rocha à beira-mar, fica completamente cercado pelas ondas na maré alta. Na baixa, é possível andar pelos arredores (mas não entrar – como acontece em quase todos os templos, apenas os balineses podem subir até o topo). Os religiosos acreditam que cobras venenosas, que ficam na base da rocha, protegem o templo dos maus espíritos.

 

 

 

Fiquei impressionada com a beleza do complexo, que tem várias estruturas ao longo das falésias e é muito bem cuidado. Também é possível encontrar artesanato e lindas pinturas. A melhor hora para estar lá é no pôr-do-sol, mas optei por iniciar o tour por este templo para conseguir aproveitar o lugar com menos turistas.

 

 

 

Bali tem muitas florestas que habitam macacos. Esta que visitei estava no caminho para as montanhas, mais ao norte. Uma guia balinesa acompanha os turistas pela floresta mostrando os animais e a vegetação. Estes animais são incríveis e ficam o tempo todo ou brincando ou acariciando uns aos outros. Na verdade eu pensei que era carinho, mas eles ficam procurando carrapatos para comê-los. Fiquei encantada com esta família dormindo juntinhos.

 

 

Morcegos gigantes também habitam esta floresta e confesso que fiquei com dó ao tirar esta foto com um deles para alimentar depois. Fiquei com medo também, mas eles são muito tranquilos e livres. Ok! Este chapéu é um tanto quanto ridículo, mas depois que souberem de onde vem, vão me perdoar.

 

 

Cada guia balinesa tem sua lojinha e te convida para um chá depois do passeio. A minha guia foi super gentil e suas filhas eram lindas. Aproveitei para comprar um Sarong, muito comum aqui, é tipo um saiote para usar como vestido, canga ou apenas cobrindo a parte inferior do corpo. Essencial para entrar em alguns templos por aqui.

 

 

Chegando no Ulun Danu Beraton, o tempo estava bem fechado, mas foi perfeito para tirar lindas fotos e curtir bem o lugar. Tantas imagens maravilhosas deste templo a beira do lago que fica difícil mostrar para vocês apenas alguns relances. Muitas cores e formas são envolvidas pela natureza exuberante e o templo nublado deu ainda mais vida às flores e oferendas coloridas do lugar. A melhor forma de visitar este templo é pegar um barco a remo as 06:00 da manhã, quando o sol ainda não alcançou as águas do Lago Bratan, na cidade de Bedugul, e as águas soltam uma fumacinha que deixa tudo ainda mais mágico. No meu caso, peguei uma tempestade deliciosa lara lavar a alma!!

 

 

 

No caminho para Mas (um dos centros culturais de Bali), pude assistir a uma cerimônia linda atravessando as ruas. Caixas de oferendas, lindos castiçais de frutas empilhadas, mulheres, homens e crianças carregando bandeiras se preparando para a cerimônia.

No caminho de volta ao Hotel, visitei algumas galerias de arte, pinturas, handcrafts e muita prata linda! Fiquei encantada com a variedade e qualidade do artesanato, que é exatamente do que vivem estas pessoas.

 

 

Para fechar, visitei o Toya Spa, um Spa Balines urbano enorme, com 30 salas de atendimento, piscina, jacuzi e sauna bem no caminho para Nusa Dua. Realmente os Spa´s aqui são diferentes, com muitas opções de tratamentos, variedades e muitos diferenciais. Espero conseguir transmitir um pouco disso para vocês, amantes de qualidade de vida, saúde, bem estar e cuidado com o próprio corpo e mente!! Enjoy!!

 

 

 

 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Pessoas começam a meditar por diversas razões e com expectativas bem diferentes. O objetivo principal!?? Colocar a prática de meditação como outro exercício da sua rotina diária. Assim, você poderá se beneficiar de diversas maneiras e muito rapidamente. Seja se livrando do estresse, melhorando sua saúde psicológica e mental ou sentindo uma sensação sustentável e duradoura de bem-estar. Não é tão difícil se praticar quanto parece, por isso, vou compartilhar com vocês algumas técnicas e poderosas dicas para iniciar a prática e, de verdade, transformar sua vida!! Me inspirei bastante estando na Índia, berço do Yoga e da meditação.

 

 

Algumas pessoas confundem meditação com algumas outras formas convencionais de relaxamento. Meditação não é um ato passivo que acontece de repente e quando praticada regularmente, traz todo o potencial de proporcionar muito mais do que relaxamento. Enquanto relaxamento traz alivio do estresse temporariamente, meditação traz tanto relaxamento para o corpo, mas também um despertar incrível para a mente. A prática tem efeitos cumulativos e os benefícios podem ser sentidos quase que imediatamente. Você sentirá uma afastamento das pressões da vida e uma duradoura paz para a mente.

 

Inicialmente você irá achar muitas outras coisas para fazer que parecem precisar da sua atenção mais urgente e ficará tentado em deixar a meditação para depois. Não faça isso!! Não existe melhor momento para começar a meditar do que agora no presente. Tome seu tempo agora e pratique. Em certos aspectos, meditação não é muito diferente de exercício físico. Os dois requerem uma certa auto-disciplina para que o hábito seja estabelecido, por isso é bom estabelecer um mesmo horário para meditar todos os dias, mesmo que seja apenas por 10 minutos.

 

 

Como é a meditação para você!? Sem dúvidas você poderá encontrar dificuldades. Você sente que sua mente está sempre vagando e esperando algo!? Seus pensamentos não param de te perturbar em relação às coisas que você ainda tem por fazer!? É difícil para você sentar por um breve momento!? Você tem vontade de se esticar ou coçar!? Qualquer que seja a sua experiência, fique confortável com o fato de que todo mundo que já meditou um dia sentiu alguma frustração quando começou. Como a maioria das disciplinas, desde aprender a ler até tocar um instrumento musical, tudo irá se tornar bem mais fácil com a prática. O que você deve fazer para atingir seu objetivo é começar a praticar!!

 

 

Uma outra coisa que precisaremos fazer para atingir o seu objetivo de meditação é aprender a relaxar. Pensamos que o relaxamento vem naturalmente para nós, mas não. Nós fomos condicionados a acreditar que devemos estar sempre muito ativos e produtivos. Podemos até mesmo ficar condicionados a química do estresse. Por isso, devemos estabelecer este balanço entre a atividade mental e a contemplação quieta. Na meditação, conseguimos um estado de total relaxamento, mesmo estando alertas. Para começar a alcançar isto, busque atividades que trazem este relaxamento pra você...uma boa música, um local na natureza, profundas respirações antes de dormir e experimente!!

 

 

É importante experimentar alguns dos vários tipos de meditação para decidir qual é melhor para você. Ideal que você pratique um pouco antes de mudar de método. Cada pessoa tem um estilo e pode sentir mais facilidade com alguma prática específica. Mas para isso, você precisa ter bem claro em mente o seu objetivo, ir atrás com disciplina e foco e experimentar na prática.

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Para começar a jornada, já cheguei experimentando o Spa do próprio hotel qual eu fiquei hospedada. O hotel é o Meliã Bali e o spa YHI. Fui muito bem recepcionada desde a primeira visita para confirmar o tratamento cortesia. O tratamento escolhido por mim foi o YHI signature massage, uma combinação relaxante de diversas técnicas de massagem juntas para criar uma experiência incrível e foi exatamente como me senti.

 

 

Eu sempre prezo por experimentar o tratamento signature do Spa, pois penso ser o mais completo. Neste caso, a massagem é feita com técnicas fluídas de swedish massage (sueca) e alongamentos da Thaís massage (thailandesa). Também são usados pontos de acupuntura e deslizamentos da técnica Lomi Lomi. Bem completa não? E extremamente relaxante.

 

A Massagem Sueca deriva das antigas formas de massagem aplicadas na Grécia, tendo sido sobretudo no início do Séc. XIX que esta técnica voltou às "luzes da ribalta", tornando-se popular na Europa através do desenvolvimento dado pelo ginasta sueco Per Henrik Ling que aliou os seus conhecimentos de ginástica à prática da massagem aprendida na China, criando assim a técnica que ficou conhecida por Massagem Sueca. A Massagem Sueca consiste em fazer pressão, sempre no sentido do fluxo sanguíneo, em diferentes pontos do corpo.

 

 

 

Já a Thai massagem tem objetivo mais energético que que físico. Utilizando manobras corporais que envolvem torções, compressões e alongamentos profundos, consegue-se liberar pontos onde a energia vital está com o trânsito bloqueado. Proporciona também um aumento da flexibilidade dos músculos e articulações.

 

 

 

Na entrada serviram chá de gengibre com mel. Também havia um jarra de água aromatizada com laranja e laranjas cristalizadas ao lado para degustação. Toalhinas refrescantes à disposição enquanto preenchia a ficha de anamnese. O spa é bem completo com salas de casal e banheiras individuais. Sauna, jacuzzi quente e fria e caminho das pedras. Bungalos dentro do Spa e também a beira mar. No jardim externo, algumas cadeiras para Pedicure ou reflexologia com vista para o mar. O salão de beleza também super completo, com lavatórios reclináveis e confortáveis.

 

 

Na área das salas de massagem, uma espera suspensa em passarela de madeira. Algumas cascatas desaguam no lago embaixo das chaises de espera, o que proporciona um som delicioso de cachoeira, mesmo som que pode ser ouvido das salas de massagem durante o tratamento. Talvez seja mais um dos motivos pelo qual eu tenha relaxado tanto, pois realmente cai no sono algumas vezes em relaxamento profundo e perdi a noção de tempo e espaço, o que não acontece com frequência comigo.

 

 

 

Outro fator que proporcionou tal relaxamento foi a passagem pela sauna e jacuzzi antes de iniciar a massagem. Fui instruída a chegar 30 minutos mais cedo para passar pela sauna 10 minutos e depois, jacuzzi quente e fria por mais 20 minutos. Fiz uma breve caminhada também pelo caminho das pedras, massageador pontos reflexos na sola dos pés.

 

 

Fiquei muito satisfeita com o tratamento e também com a receptividade do Spa. A terapeuta me acompanhou durante todo o procedimento da sauna e jacuzzi ao mesmo tempo me deixando muito confortável. Faria outros tratamentos se não tivesse tantos lugares para conhecer e outros Spa´s para visitar em Bali. Preenchi a ficha de avaliação com todo o prazer e me despedi ainda bem sonolenta e extremamente relaxada.

 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

A chegada em Bali superou minhas expectativas. Exatamente o lugar que queria viver e morar para o resto da vida. Praias maravilhosas, natureza exuberante, montanhas inesquecíveis e fé sem limites e inspiradora. Estar em um lugar tão parecido com o Brasil e com um clima tão perfeito não poderia me fazer sentir mais em casa. Nesta jornada literalmente sozinha é importante sentir-me acolhida por pessoas tão simples com um coração incrível!! Os balineses são assim...receptivos, amigos sinceros, super gentis e muito puros!! É incrível estar em uma ilha tão linda e aconchegante!

 

 

 

Cheguei muito empolgada e disposta a entender o motivo pelo qual sempre quero me descobrir sozinha, criar desafios para que eu possa evoluir nesta caminhada espiritual. Coloquei meu tênis, enfim biquinis e sai para uma corrida de 02 horas e meia, que me fez apaixonar ainda mais com este lugar. Estou hospedada em Nusa Dua, uma bahia maravilhosa com paisagens incríveis. Uma longa passarela à beira mar me levou à restaurantes, resorts e surf points inimagináveis.

 

 

Aluguei uma prancha e logo cai no mar, perfeito para a prática de Sup Paddle e Sup Yoga!! Não é difícil fazer amigos aqui, todos querem saber de onde você vem e o que está buscando, sempre te oferecendo passeios e opções "to have fun". O sup yoga fluiu deliciosamente, mas confesso que cai algumas vezes com as leves marolas de Nusa dua. Importante é que me diverti demais e sai da água renovada.

 

 

Para comemorar meu aniversário, fui conhecer a famosa Seminyak, point para jovens, balada e ótimas compras. Minha parada foi em Ju De Ta, um restaurante delicioso para aproveitar o pôr do sol e curtir uma boa música. O sunset foi incrível degustando a cerveja Bintang local e alguns snacks vegetarianos.

 

 

De lá segui para as famosas a Kuta e Seminyak para ver algumas lojas e excelentes reataurantes. Fiquei encantada com a variedade e autenticidade da cultura balinesa, mas não me estendi muito, pois exagerei um pouco noa esportes e estava quebrada. A primeira impressão foi suficiente para ficar encantada e aberta para novas descobertas e experiências. Espero que curtam comigo este momento e que eu tragar valiosas dicas desta ilha tropical inesquecível!!

 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

 

 

 

Saimos cedo de ônibus no outro dia e passamos por Kanchipuram, onde visitamos o templo Devarajaswami, maravilhoso e enorme e todo em granito preto não polido. As várias mandalas no chão feitas à mão com pó tingido me encantou pela simetria e perfeição. Imagens bem diferentes de tudo que já tínhamos visto e também carros alegóricos para conduzir os Deuses que eles usam durante os festivais.

 

 

 

 

No centro do templo, a árvore representando o local onde acredita-se que Shiva e Parvati casaram. As mulheres que não conseguiram ter filhos ainda visitam este local para fazerem os suas orações e pedidos.

 

 

 

Também fomos no templo Kailasanatha, todo construído em arenito. No centro, o templo principal com vários pequenos templos em volta e imagens incríveis dos Deuses indianos. O guia que nos conduzia contou algumas histórias bem interessantes sobre este local e as imagens esculpidas.

 

 

 

 

Pudemos ver claramente as diferenças entre o norte e o sul da índia, constatando que o sul não sofreu tanta influência internacional quanto os estados do norte. Por este motivo, as coisas de um modo geral são mais autênticas, preservando-se a cultura original. Em relação aos monumentos e aos templos acontece a mesma coisa, tendo em vista que as invasões que aconteceram no norte destruíram muito.

 

 

 

Kantipuram é a cidade da seda, 90% da população da cidade trabalha com a fabricação de tecidos
Passamos então pela loja de seda, matéria prima que vem crua de Bangalore para ser tecida pelos residentes desta cidade. Pudemos ver o processo de confecção das peças, o que eu acho muito interessante e aproveitamos para umas comprinhas, lindas peças que só encontramos na Índia.

 

 

 

Pegamos estrada para Mahabalipuram e me senti na Bahia. Uma estrada com muitos coqueiros e um clima delicioso de litoral. O dia já estava ótimo e não imaginei que podia terminar de forma tão perfeita. Chegamos em um hotel delicioso na praia e então percebi o quanto estava com saudades do mar. Corri para trocar de roupa e ir para a praia, onde não encontrei muitas pessoas de biquini. Logo soube que tinham morrido 03 pessoas naquele dia e os policiais não estavam deixando entrar no mar, uma pena! Encontrei um bom lugar para me sentar e meditei por algum tempo, apreciando imensamente a oportunidade desta viagem e de todo o processo que estou vivendo aqui. Senti como se estivesse me preparando para 2014, desfrutando a alegria imensa que sinto quando estou no mar.

 

 

 

No caminho, observei uma caverna esculpida na pedra, bem na beira do mar. Conseguem imaginar quanto tempos os grandes yogins ficavam meditando dentro destas cavernas!? Acho incrível pensar o quanto estes grandes seres dedicaram suas vidas para nos trazer tanto conhecimento através do yoga.

 



 

A vila de Mahabalipuram é muito charmosa e me senti como se estivesse em Arraial D´ajuda. Assistimos a um festival de dança típica indiana lindo e lembrei muito da minha adolescência, quando dançava profissionalmente. As dançarinas transmitiram uma sinceridade e amor pelo que estavam fazendo e tinham ensaiado bastante, via-se pela perfeição da coreografia. Passeamos pelas lojinhas muito charmosas da vila e dormimos ao som do mar...mais um dia perfeito no sul da Índia!!




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Após 25 dias na índia me sinto bem diferente. Se a idéia inicial era uma profunda transformação interna, acredito que agora estou começando a realizar e internalizar as mudanças. Não como imaginei que seria, carregada de expectativas e pensando que esta viagem iria mudar completamente minha vida. Meu terapeuta "guru" já tinha tirado esta ilusão da minha cabeça. Mas pouco a pouco, através das realidades que encontro por aqui e do verdadeiro sentido da devoção na minha vida. Tudo aqui é novo e surpreendente e a cada minuto nos deparamos com uma situação que não estava prevista, que nos toca o coração ou que nos choca completamente. Pra mim, a transformação está acontecendo em muitos sentidos...na minha relação com as outras pessoas do grupo que encontrei aqui, relação com amigos e família que deixei para trás. A minha relação com a diversidade desse mundo incrível, culturas e religiões, mas principalmente a relação com o Deus qual eu acredito e com meu self.

 

\

 

O primeiro fator que penso influenciar neste processo é a limpeza que me propus para este momento. Não sou 100% vegetariana, mas já fiquei um tempo sem carne, peixe e frango e sei os benefícios que senti experimentando este estilo de vida. E é exatamente o que estou sentindo agora, uma sensação incrível de limpeza, pureza. Carne vermelha já não faz parte do meu cardápio há um tempo, mas ultimamente estava comendo peixe e pouquíssimo frango. Passar este tempo aqui na índia completamente sem estas proteínas me fez resgatar a essência dessa opção na minha vida e repensar muitos dos meus hábitos.

 

 

 

A alimentação aqui é bem carregada de tempero e pimenta, mas ao mesmo tempo é leve para o corpo e desintoxicante. Muitas ervas e temperos são usados seguindo a milenar sabedoria ayurveda e não há como ficar sem tomar o chai quase todos os dias. Eles também chamam de massala tea e servem a todo o momento como cortesia.

 

 

Outro hábito delicioso que incorporei estes dias aqui foi de tomar o "ginger lemon tea" antes e depois das refeições. Limão e gengibre é uma combinação perfeita para auxiliar na limpeza e estimular o fogo digestivo. Algumas vezes também usam chá preto ou verde nesta mistura e fica delicioso. Com certeza um hábito que vou levar para o Brasil e para a vida toda.

 

 

As frutas e verduras são muito acessíveis e fartas, mas não recomendo comer saladas nos restaurantes. A água que eles usam pode estar contaminada e causar a famosa "diarréia indiana", impossível não experimentar por aqui. Comprei muitas frutas para comer nos passeios, a mixirica é deliciosa e há sempre opções de bananas e uvas, que devem ser lavadas com hidrosterio antes de consumir.

 

 

Mas realmente o fator mais importante pra mim nesta jornada está sendo a prática diária de Yoga com o professor Gerson D`addio. É nítido perceber como minha mente foi acalmando gradualmente, assim como a conexão comigo mesma e com o universo que estou vivendo aqui, aumentando pouco a pouco. Apesar de tentar me manter firme na minha prática, muitas vezes acabo colocando outras coisas em primeiro lugar na correria do dia a dia e perco a disciplina e o foco. Aqui estou tendo a oportunidade de me dedicar de verdade à prática, sem preocupações ou outros compromissos e tem sido maravilhoso!!

 

 

 

Em quase todos o hotéis conseguimos um bom lugar para a prática de Yoga e foi a primeira atividade do dia. Algumas vezes em um salão de convenções, outras no terraço a céu aberto ou na beira da praia. Todas as práticas independente de onde foram realizadas, fizeram com que minha postura diante do dia fosse outra.

 

 

Muitos mestres aconselham a prática 02 vezes por dia, assim como acontece nos Ashrams aqui. Mas acredito que 01 vez por dia é suficiente para estabelecer a conexão com você mesmo e trazer inúmeros benefícios físicos e mentais. Ter a oportunidade de sentir aqui os benefícios da prática diária está me fazendo repensar e muito as minhas prioridades para conquistar uma vida equilibrada e saudável.

 

 

E para você!? Quais são as prioridades em 2014!? O que você acredita que pode transformar sua vida e te guiar no caminho que você escolheu!?

 

Be Withyou and find your way!!




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Após a experiência de imersão no yoga que tivemos em Lonavla, saímos em direção a Mumbai e conseguimos chegar cedo nesta cidade linda, considerada a maior cidade do mundo em população. Fiquei feliz em ter a oportunidade de conhecer um pouco da arquitetura da cidade e realmente percebi ser bem diferente do que já tinha visto até então. A desigualdade saltou ainda mais em meus olhos, pois era nítido perceber a pobreza e a riqueza lado a lado. Mumbai tem lindos prédios e monumentos ao longo de uma bahia bem azul e também a favela com o maior número de habitantes do mundo em condições precárias.

 

 

 

Passeamos na região de colaba pelo portal da Índia, o hotel Taj, considerado o melhor do país, o comércio local e restaurantes típicos. Também vimos a estação de trem, que é a quarta maior da Índia, onde foi gravado a ultima cena do filme "Quem quer ser um milionario".

 

 

 

 

 

No dia seguinte cedo, partimos de avião para Chenai, que é considerada a quarta maior cidade da india. Possui 8 milhões de habitantes e uma estrutura completa. As ruas são largas e bem arborizadas. A pobreza não é tão gritante e nem o trânsito, como percebi em Delhi. Pegamos um riquixá, famoso tuc tuc e fomos passear pela cidade. Foi uma experiência incrível, pois éramos 05 mulheres naquele veículo tão pequeno, 04 atrás e eu na frente com o motorista, driblando vários carros, buzinando e nos divertindo. Incrível o passeio com as queridas amigas Katia, Mara, Ligia e Jacira. Para começar, fomos em um templo hindu bem no momento em que estava acontecendo um ritual e fiquei mais uma vez encantada com a devoção dos hindus. Estavam todos aguardando o momento de olhar para os Deuses e pedir a bênção. Participamos desse ritual bem típico deles e pudemos ver claramente a rotina de um templo hindu. Visitamos também o templo Do Sri baba e recebemos as bênçãos do ritual que tinha acabado de acontecer.

 

 

 

 

A praia de Chenai confesso que não foi muito atrativa. Apesar de bonita, estava muito suja, como muitos lugares aqui na Índia. As pessoas não se banham porque a água é muito suja e a região que conhecemos era como um lixão a céu aberto à beira mar, um cheio podre incrível.

 

 

 

 

 

No dia seguinte, começamos o dia na sociedade teosófica de Chenai e visitamos uma árvore impressionante, que se ramifica de cima para baixo, criando uma enorme teia interligada por vários troncos. Em seguida, fomos no templo da ordem do Sri Ramakrishna, do swami vivekananda. Amamos o templo e meditamos um pouco ao som de Bajans (canções devocionais). Na saída recebemos o prasad, que é uma refeição que eles entregam na porta dos templos após as cerimônias. O alimento foi servido em lindas cumbuquinhas de folhas e estava delicioso, gosto de coco e gengibre.

 

 

 

 

No caminho para o templo de Shiva Kapaleeshwarar, mais cenas incríveis da realidade indiana. Tendas de frutas, roupas e artesanato se misturando com os carros, riquixás, pedrestes e o lixo presente por todo lado. Variedades, cores, cheiros e muitos estímulos para os sentidos.

 

 

 

 

O templo de Kapaleeshwarar também me tocou profundamente. Fiquei encantada com as formas esculpidas em tantas cores, representando a fé e a devoção dos indianos. Tocava uma melodia bem típica enquanto caminhávamos pelo templo observando famílias, sadus e devotos em oração. Muitas tendas ao redor vendendo artigos religiosos, japa malas (colares com contas para meditação, como um terço) e guirlanda de flores em um grande festival de cores.

 

 

  

 

Ainda passamos por 02 igrejas, uma delas o local onde esta enterrado o discípulo São Tomé. A igreja era muito bonita e o ponto alto para mim foi Jesus crucificado com os pés em uma flor de lótus. Também vimos Maria coberta por um Sari.

 

Fica tão difícil selecionar as fotos para colocar aqui, vocês não imaginam!! Espero que estejam gostando e que consigam sentir pelo menos um pouco o espírito indiano através dessas imagens.

 

 

 

 

 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Talvez estes textos não estejam muito bem escritos ou completos, mas é o máximo de informação que consegui reunir durante as palestras para compartilhar com vocês daqui da índia, um país tão rico, diversificado e com tantas coisas para nos ensinar. Quero deixar claro que não estou emitindo meu ponto de vista acerca dos tópicos que eles abordaram, mas sim compartilhando com vocês quase que literalmente o que foi falado por eles. O texto é grande, assim como a mensagem que trasmitem.

 

 

 

A primeira palestra que tivemos foi com o Sahay, o Responsável pela pesquisa filosófica do yoga na biblioteca no instituto kaivaladhama. Ele trabalha aqui ha 38 anos. Começou a palestra falando um pouco sobre meditação de acordo com o gueranda sanhita. E passamos a praticar esta meditação conduzida por ele.

 

Esta meditação é baseada na visualização e também na imaginação. Você deve imaginar alguma coisa e criar o conceito do que foi induzido. Como se estivéssemos vendo a tela de um pintor. Quando o pintor pinta, pode pintar o mundo inteiro ou apenas uma parte dele, e é o que devemos ser capazes de conseguir na meditação. Devemos ser capazes de expandir e também de contrair nosso foco e pensamento, assim como a imaginação.

 

Fizemos uma meditação de visualização bem completa, abrangido todos os sentidos, menos o paladar. Isto é importante perceber, pois estamos sendo atraídos para o mundo externo através dos nossos olhos o tempo todo. Não somos diferentes dos nossos órgãos sensoriais, pois sempre queremos experimentar. Mas quando estamos em meditação, provemos todo o alimento para o oragos sensoriais, sem necessariamente experimentar. E através desse estimulo, vamos tendo cada vez menos atraídos para o mundo externo.

 

Após esta introdução, falou de patanjali, grande sábio fundador e sistematizador do Yoga. Mas naverdade, foi mais um sistematizador, pois o yoga é ainda antigo a patanjali. Ele teve acesso a estas informações e compilou tudo.

 

 

Patanjali foi um grande doutor. Quando vamos ao médico, ele descobre que estamos com alguma doença. A primeira coisa a saber é qual a causa dessa doença e muitas vezes somos convencidos dessa origem. Sem nos convencer, não faremos o tratamento. Nós aceitamos mesmo os médicos que entendem qual a causa dos nossos problemas. E aceitamos e nos tratamos quando temos certeza da causa e do tratamento correto.

 

Seguimos então 04 métodos. Primeiro, ter a doença. Segundo, a causa. Terceiro, a doença pode ser removida e o quarto, o método para tratar a doença. Patanjali usa estes métodos. Filosofia dele está intimamente ligada com a existência. Por isso precisamos entender porque. Quando estamos sofrendo, pensamos: que tipo de dor que estamos sentindo e podemos remover!? Se já passou, não tem porque remover, pois passou. Mas a dor do presente, essa é a que deve ser removida. E a dor que ainda não chegou também pode ser evitada.

 

A lei do karma é base no yoga, tudo que fazemos tem suas consequências, seja nesta vida ou seja depois. Podemos sentir os efeitos imediatos ou podemos não sentir nesta vida. Mas
necessariamente as consequências vão vir. Esta filosofia está baseada na vida após a morte, conceito indiano do ciclo da vida e da morte. Mesmo para quem não acredita em outras vidas, devem entender que as consequências de seus atos irão chegar.


Patanjali define estes 03 tipos de dor: a que já foi, a que virá e a que estamos experimentando agora. O que estamos vivendo agora é conseqüência de algum karma passado e temos que experimentar, a dor está aí. Mas tudo isso está relacionado aos objetos com os quais lidamos dia a dia. E nosso apegos aos diferentes objetos é de diferentes intensidades. Assim também acontece com o nosso apego às pessoas. Mas com o passar do tempo, com as coisas ficando velhas, vamos perdendo o apego e ele vai perdendo intensidade. O objetivo ao qual nos apegamos, pode nos trazer alegria hoje e dor amanhã. Então, onde quer que haja dor, a dor é relativa.

 

O que quer que tenho sido criado, vai ser depreciado ou destruído. Nós criamos muitas coisas que não podem ser permanentes. Pois isso temos dor. É por isso que patanjali fala que a razão da dor é o apego e devemos reduzir cada vez mais o nosso apego. Claro que é difícil desaparecer com ele, mas devemos reduzir cada vez mais.

 

Sem órgão sensoriais, permanecemos apenas o EU puro. Não nos ligamos nem nos apegamos a nada. O quanto vc pode reduzir seus apegos é o quanto vc pode reduzir o seu sofrimento. E o método que patanjali usa para reduzir este apego é o asthanaga yoga, yoga das 08 partes. Isso é exatamente o que está relacionado com todo nosso universo. Abrange nossos aspectos sociais, intelectuais, físicos e também tudo que nos cerca. Estas partes são: Yama, nyama, asana, pranayama, dharana, pratyahara, dhyana e samadhi.

 

Devemos perceber quantas coisas acumulamos sem necessidade. Por isso, devemos minimizar a acumulação, pois não precisamos de muito para nos realizarmos e sermos felizes. Quando menos coisas, menos apego. Finalizou a palestra com as 03 frases que devemos lembrarMais apego, mais dor. Menos apego, menos dor Sem apego, sem dor!!




A segunda palestra foi com Anubhavabanda, um Swami muito respeitado aqui na índia e que já foi no Brasil algumas vezes também no ensinar. Novamente deixo claro que são transcrições do que foi falado por ele e não há minha opinião ou ponto de vista expresso neste texto, mas
apenas o que realmente foi ensinado.


Tradições são importantes para cada país. É importante se conectar com a tradição do seu país para se descobrir.


A existência é expressa em quatro níveis. Nas montanhas e nos rios, Deus se expressa como puramente existência. Olhando para a natureza, vemos o reino do plano divino, onde é projetada a existência e a vida. Então, no mineral existe existência apenas.


No Reino Vegetal, temos existência e também a vida. Este é o segundo nível. O terceiro nível são os animais que englobam a existência, a vida e o conhecimento.


Mas não somos nenhum destes reinos. O quarto nível, os humanos, tem existência, vida, conhecimento e espiritualidade. Sabemos que para ser seres humanos, temos que adicionar algo mais. Ser muito mais que animais. É aqui que a tradição e também nossa cultura é associada com a sociedade humana.


Manusha (seres humanos) são aqueles que estabelecem conexão com a mente e por isso temos relações e responsabilidades com as pessoas. Para este relacionamento, nós mantemos isso na nossa mente.


Tradição e cultura nos ajudam a crescer espiritualmente. Na índia, não tiram férias para descansar, mas sim, para peregrinar. Essa tradição é buscar a Deus em todas as coisas. Vermos as montanhas como Deuses, o ganges, as árvores. Tudo que existe é Deus. Com esta visão, nossa qualidade de vida será diferente. Não conseguimos ser indulgentes com uma visão divina do mundo. E só não sendo indulgentes, conseguimos ver nosso interior e olhar para dentro. A tradição indiana é assim.


Primeira coisa do dia é saudar a terra, antes de pisar no chão. Pedir autorização a Deus para pisar no solo, começando o dia de maneira divina.


Segundo, uma oração para as mãos. A ponta do dedos são a riqueza. No meio da palma, a sabedoria. E na base da palma, está Deus ele próprio. Tudo isso está na nossa própria mão. A mão que ajuda é a sua mesmo, que sai do seu próprio braço.

 


Logo em seguida, tomar banho. O dia não começa um banho. Nos tornamos limpos e a mente mais clara e com a mente pura, começamos nossas orações mesmo tomando banho. Assim, a sonolência da noite não vai aparecer durante o dia. Quando lembramos de Deus no banho, nosso dia é orientado por Deus e não pelo corpo. O corpo é só um instrumento.


A nossa comida deve sempre fresca, nunca congelada. Toda a mente muda quando comemos comida fresca, um comer que se torna uma prática espiritual. Dizem que a comida não é nada além de Deus. Antes de comer, oferecemos a comida a Deus e só depois comemos. Nem mesmo provamos a comida antes de oferecer. Tudo isso tem um efeito poderoso na mente. Depois disso, todo o dia será para fazer trabalho de maneira sincera. A cada coisa que estivermos fazendo, sempre lembrar da presença divina. Namastê nada mais é do que uma saudação ao divino, reconhecendo-o na outra pessoa.

 

Vendo Deus em tudo, na mãe, pai e seus amados, também poderemos ver deus até no que não é ser humano. Assim, a mente se torna mais pura e nos mais introvertidos. Se tornar introvertidos é o caminho para a vida espiritual.

 

Tradição indiana hindu nos ajuda a ter um caminho espiritual. Nos tornamos pessoas de coração puro. Ai começam a surgir as questões "quem sou eu" e "onde está Deus".

 

Nossa vida é baseada em tentar mudar os outros. Mas desperdiçamos tempo, pois isso mão é possível. A lei do karma diz "pare de culpar o mundo". Nós somos responsáveis por tudo que acontece na nossa vida. E quando aceitamos isso, damos o primeiro passo na vida espiritual. E então, vem novamente todas aquelas perguntas. Quando fazemos esta pergunta, estamos prontos para o caminho espiritual. Por isso estou aqui. A índia é um lugar para quem busca evolução espiritual, todos sabem. 95% dos mestres espirituais nasceram na índia, por isso a
energia é tão forte.

 

Nao importa as coisas externas para ser espiritual não importa se vc faz yoga ou é vegetariano. O que importa é seu interior. Ser espiritual é ser feliz. Se vc é feliz, você é espiritual!! Toda prática espiritual se resume a estar feliz e estar bem, manter a atitude positiva e nunca enxergar o lado negativo. A tradição na índia nos ensina como nos manter felizes e contentes em cada dia da sua vida.

 

Resumindo, ser espiritualizado é ser introvertido. E a tradição irá nos ajuda a crescer espiritualmente.

 

 

No dia seguinte cedo voltamos para ouvir Anubhavananda novamente e o tema foi muito interessante.

 

Yoga é definido de formas diferentes. Significa união, se junta, modo pelo qual chegamos a algo, mas o yoga de acordo com o baghavat gita é a melhor que apresentamos: quando o sofrimento vem ate você, você de recusa a sofrer. E a única pratica a fazer é dizer não vou sofrer, não importante o que aconteça. Yoga significa que você tem que descobrir sua própria felicidade. Quando procuramos a felicidade externa, sofremos. O ponto principal é: você está feliz ou não!? Precisamos insistir que cada momento é uma expressão de felicidade. Fazer toda e cada ação com o sentimento de contentamento.

 

O yoga ensinado por patanjali diz que temos integrar com o mundo para que nós sejamos felizes e também os outros sejam felizes. O habito de acumular coisas no mundo externo se reflete internamente e começamos a acumular pensamentos desnecessários. O habito de acumular é o mesmo no mundo externo e no interno. Quando vc está vazio é que descobre a
felicidade. No sono por exemplo, somos felizes pois desfazemos de nossas posses e relacionamentos. Apenas o nosso corpo dormindo. Yama sadhana é viver o mundo de maneira contente. Pensar em Deus em todas as ações e ver ele em todas as coisas.

 

Aquele que não é um problema para os outros e não vê os outros como problema está bem. Porque nós já criamos os nossos próprios problemas.

 

Aqueles que sofrem por causa dos outros estão longe da felicidade.

 

A pessoa que tem auto-disciplina é livre. Isso mos ensina limpeza externa e pureza interna. Nossas roupas, nossas coisas, nosso corpo deve ser limpo todos os dias. Nossa mente limpa, feliz e contente.

 

Devemos solucionar os problemas sem sofrimento. Para de reclamar. Ficar confortável e aceitar a situação qual quer que ela seja. Primeiro propósito é que somos tão dependentes que perdemos nossa liberdade. Também não temos auto-confiança e precisamos desenvolve-la.
Mas fazer isso com felicidade e de maneira simples.

 

Devemos também melhorar nossa vida a partir de nós mesmos. Saber o que está por baixo do corpo, entendendo o que está acontecendo por dentro. Não podemos dirigir um carro por horas sem sabermos onde estamos indo.

 

Independente do que acontecer no mundo externo, devemos manter nosso nível de felicidade apesar dos outros e de tudo ao nosso redor. Para isso, temos que vigiar a qualidade dos nossos pensamentos e da nossa mente. Alegria é uma força criativa.

 

Ishwara pranidhana é estar alerto de que Deus está nos observando internamente. Ele está em nosso coração e sempre observa tudo que estamos fazendo. Antes de pensarmos, ele já sabe que estamos pensando. Quando estamos conscientes dessa presença no nosso coração, nossa qualidade de vida vai mudar e o que fazermos de errado vai ser controlado.

 

 

Ásana na visão de patanjali é se manter estável e confortável. Estável e confortável na felicidade!! Asána é estabilidade!! Aprender a ficar estável em qualquer situação da vida, tendo disciplina acerca do que devemos fazer. Estabilidade no nível do corpo, da fala e no nível mental, cumprindo nossos propósitos até o final.

 

Ideal é o mínimo esforço em qualquer coisa que fazemos na vida. Quando colocamos muito esforço, não está normal, nosso Ego está crescendo e queremos provar alguma coisa. Por isso nunca devemos tentar provar nada pra ninguém, pois de fato ninguém se importa com a gente e sempre que tentamos provar, nos tornamos frustrados. Devemos apenas relaxar.


Isso se torna possível quando conseguimos dissolver este EU egóico.

 

Pranayama tem um propósito a ser entendido. Quando estamos prontos para controlar nosso prana, também seremos capaz de separar nosso corpo da nossa mente sem prejudica ambos. Quando o prana fica leve e lento, não estamos muito identificados com nosso corpo. O mesmo
acontece ao contrario.

 

 

O que é alcançado através do pranayama!? Liberação de toxinas no sangue, que é difícil de ser removida. Pranayama é feito para purificar o sangue. Também prepara nossa mente para a meditação, deixando-a calma e em paz. Só com esta mente mais tranquila poderemos fazer perguntas acerca da nossa existência.

 

Fazemos pranayama para separar o corpo da mente e sentar para meditar como ninguém, sem identificação. Assim, poderemos aplicar a nossa mente para algo maior. Como sabemos que estamos tendo benefícios. 02 sintomas: primeiro, parar de falar com você mesmo e antes de falar com os outros, vamos pensar 02 vezes. A pessoa que pratica pranayama regularmente, sua mente sempre estará em bom estado de espírito. Pranayama é o caminho para deixar nossa mente saudável.

 

Pratyahara. Temos 02 aspectos da personalidade, externo e interno. E existe uma porta que liga os dois. Os 04 acima estão no mundo externo. Dhrana, dhyana e samadhi estão no mundo interno, pratyahara é o que liga estes dois aspectos. Não conseguimos fazer nada para mudar o mundo externo, mas o que podemos fazer e fechar nossos sentidos e nos desligar disso. A liberdade de fechar todos os nossos sentidos é pratyahara.

 

Comer demais é não praticar pratyahara. Temos 10 oragos, 5 de sentido e 5 de ação. O único que podemos controlar é nossa língua. Se falamos alguma coisa é uma ação e quando provamos a comida, é um órgão de sentido. CONTROLE SUA LINGUA. Fale o menos possível. Se não for solicitado, não fale. Controle também a comida. Só assim, o mundo externo não estará entrando na nossa vida e assim, podemos controlar nossa mente.

 

Meditação é uma experiência e não um ato. É o subjetivo e não um verbo. Nunca começa e nunca termina.

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

 

Nos outros dias que passamos em Lonavla, também tivemos experiências muito interessantes. Acho a minha cara estes lugares menores, me sinto como se estivesse em casa. A tradição desta cidade é bem forte, as indianas estão sempre lindas e bem vestidas, é delicioso de ver!!

 

 

 

Logo de manhã, fui fazer um tratamento de massagem abyanga no centro de naturopatia de Kaivaladhama. O local era simples e completo, e a experiência de fazer massagem com uma indiana foi ótima. A massagem Abyanga é feita com bastante óleo no corpo inteiro. Todas as partes do corpo são tocadas com o objetivo de aumentar a circulação sanguínea e eliminar as toxinas no organismo. Após massagear o corpo todo, a terapeuta nos conduz para uma cadeira e começa uma vigorosa massagem no couro cabeludo com óleo de coco. Dá para sentir a pureza do óleo de coco e o relaxamento é inevitável. Em seguida, fui conduzida para a sauna úmida, onde repousei por mais 15 minutos para concluir o protocolo. Foi delicioso!!

 

 

 

 

 

As ervas que utilizam na naturopatia e no ayurveda são todas plantadas na própria horta e o cheiro de jasmin encanta todo o Ashram. Achei delicioso sentar em um dos jardins tranquilos para sentir o frescor do ar e meditar um pouco.

 

 

 

De tarde, saímos para visitar a karla cave nos arredores de Lonavla. Uma subida através de uma escadaria até o topo da montanha com diversas barracas de doces e artesanato local, além de imagens devocionais, para levarem de oferenda para templo hindu na porta da
caverna.

 

 

 

 

 

Quando chegamos no topo, uma grande surpresa. Na minha ideia iria encontrar uma pequena caverna incrustada na montanha, mas era como um grande monumento, todo esculpido na pedra. Foi construída pelos budistas há muitos anos e fiquei impressionada com a energia do lugar. Lindas imagens e formas amparavam a entrada principal, mas a grande beleza estava dentro. Uma estopa com algum fragmento do Buda saltava as olhos e revelou a grandiosidade do lugar. Lá dentro encontramos uma linda família indiana e não resistimos a algumas fotos.

 

 

 

O dia seguinte foi inspirador. Tivemos 03 palestras com grandes mestres e estudiosos do Yoga. As mensagens e o conhecimento que passaram nunca serão esquecidos por mim. Vou colocar nos próximos post's as palestras em síntese para que vocês também possam ter acesso a este conhecimento tão valioso que tive a oportunidade de experimentar com o professor Gerson D'addio aqui na índia.




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Neste post, resolvi escrever um pouquinho para vocês sobre alguns termos gerais daqui do universo indiano. Para isso, utilizei também um livro encantador da Ligia, uma amiga querida que fiz na viagem, e recomendo para quem quiser ter uma visão geral de toda a índia e seus costumes. Uma leitura fácil e deliciosa. Aproveitem!!

 

 

 

Sadus,  a principal motivação para se tornar um Sadu é o desejo de alcançar a chamada iluminação espiritual. Entre os tipos de Sadus, os chamados Nagas são os mais famosos: eles simbolizam seu ascetismo com a nudez e cobrem os corpos com cinzas tidas como sagradas. Há um leque de condições para de tornar um Sadu. A primeira é abdicar dos prazeres sexuais e do pecado da gula. Outra austeridade mental é o voto de silêncio e o objetivo é conservar a energia metal e criar a distância social. Eles sobrevivem de doações, dinheiro e comida. Muitos moram em abrigos especiais, geralmente ao lado de templos hindus, espalhados por toda a índia. Os mais reclusos vivem em cavernas, em tendas no meio das florestas, em campos de cremação, ou acampados na beira de rios sagrados. Por serem homens santos do hinduísmo, ganharam uma aura de pacifistas.

 

 

 

Swamis é uma palavra que vem do sânscrito SWAMIN. A palavra swami tem vários significados. Deus é designado swami, e a mesma denominação é usada para monges. Um monge é o senhor de si mesmo — governa a si próprio. SWA = self; ele governa seu próprio Ser. O monge é aquele que conhece seu Ser supremo. Swami também significa “senhor” — é um tratamento respeitoso. Um monge encontra-se no quarto estágio de vida — o mais elevado, sendo os outros inferiores. Logo, o noviço, o chefe de família, etc., devem tratar o monge com reverência. “Swami” é o tratamento respeitoso para um monge. Historicamente, esta forma de tratamento vem sendo utilizada desde tempos imemoriais para designar aquele que tem a primazia em erudição, conhecimento ou até mesmo poder. 

 

 

Puja é uma prece hindu realizada todos os dias. A palavra sânscrita pújá significa literalmente adoração. Na Índia, a palavra pújá é usada para descrever as diferentes formas de adoração aos deuses, seja no templo, seja em casa. Um pújá é um ato de reverência do devoto em relação a uma determinada representação de Deus, indicado pela presença de um símbolo (uma escultura, uma imagem, uma fogueira sagrada, etc.).

 

 

Samsara é o ciclo de morte e renascimento, dor e sofrimento. A fé tem o objetivo de alcançar a libertação do samsara, que é regido pela lei do carma, a influência de vidas passadas em vidas futuras. Se na morte da pessoa o carma for predominantemente positivo, acredita-se que ela renascerá em uma condição melhor, em uma casta superior, por exemplo. Se for negativo, a pessoa será rebaixada na próxima vida, ou poderá renascer com uma forma de vida inferior.

 

 

 

O darma é um conceito fluido: cada ação pode ser correta ou errada. Darma significa "Lei Natural" ou "Realidade". Com respeito ao seu significado espiritual, pode ser considerado como o "Caminho para a Verdade Superior". O darma é a base das filosofias, crenças e práticas que se originaram na Índia. A mais antiga dessas, conhecida como hinduísmo, é a Sanatana Dharma (ou "Dharma Eterno").  

 

 

Ghat são as escadarias usadas para ter acesso ao ganges. As famosas imagens de corpos sendo cremados no rio são vistas geralmente de um ghat. Queimando o corpo, acreditam os hindus, a alma se desliga mais facilmente do mundo material. Como muitas vezes a madeira não é suficiente para queimar tudo até o fim, corpos meio carbonizados são despejados no rio. O Ganges, que recebe 5 milhões de peregrinos por ano e é tido como capaz de limpar os pecados está muito sujo em algumas regiões.

 

 

A religiosidade dos indianos é exercida de forma festiva, com uma celebração atrás da outra. Doze meses, 13 festivais, dizem eles com orgulho. Nenhum país tem tantos feriados como a Índia. A maior de todas as festas é o Divali, o Festival das Luzes.

 

 

 

Outra super demonstração de fé no planeta é o Kumbh Mela, que ganhou fama internacional por reunir uma multidão de mais de 70 milhões de devotos e sadus durante os seus 03 meses de duração. O ponto auge são as suas procissões até a beira do rio, onde dão os mergulhos sagrados.

 

 

 

Outra coisa também muito interessante e que vemos muito por aqui são os Riquixás. É muito interessante ver como eles se locomovem na loucura do trânsito indiano. Uma sinfonia de buzinas variadas entre carros, caminhões, onibus, bicicletas, motos e os mais ágeis e em maior número... Os rikshaws. Cada cidade tem uma cor diferente e a decoração é por conta dos indianos. Um festival de luzes, cores e muito, muito barulho!!

 

 

 

 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


por Simone Las Casas

 

Este post é sobre Lonavla e a primeira experiência que tive com esta pequena cidade perto de Mumbai. O grupo de yoga que estou acompanhando nesta jornada pela índia segue a linha de Kaivaladhama e o instituto se situa aqui. Quando pesquisei um pouco sobre esta antiga tradição e sobre o enorme trabalho científico e literário que realizam no instituto fiquei ainda mais encantada com esta viagem.

 

 

 

 

Lonavla é uma cidade bem típica da índia, interiorana e que preserva antigas tradições. Interessante observar como os moradores e locais nos olham com olhos diferentes, por não estarem acostumados com muitos turistas. Fazem doces típicos locais maravilhosos, que adorei experimetar.

 

 

 

Fomos cedo para conhecer o instituto na manhã seguinte, um Ashram super ativo que oferece vários cursos de yoga e também hospeda turistas que querem conhecer a tradição ou fazer algum tratamento ayurvédico. Passamos primeiro pela lojinha e biblioteca e já foi aquela perdição. Muitas publicações excelentes de pessoas reconhecidas e sábias. Escolhi alguns livros, dvds e incensos.

 

 

 

A biblioteca é um paraíso para o estudante de Yoga. É a maior biblioteca do mundo em se tratando de títulos sobre Yoga. É muito interessante ver a imensidão do universo yoga aqui no oriente, enquanto no Ocidente, ainda podemos ter dificuldades para encontrar livros e informações seguras e bem baseadas.

 

 

 

 

A próxima visita ainda dentro do Ashram foi surpreendente. Conhecemos todos os equipamentos e aparelhagem que eles usam aqui para fazer as pesquisas científicas do Yoga. O mais impressionante foi uma câmara hermeticamente fechada no chão que é usada para medir a capacidade respiratória dos yogins. Enquanto uma pessoa normal consegue ficar até 06 horas até que o ar se acabe, o yogin fica até 16 horas.Impressionante, não!?

 

 

 

 

Depois, conhecemos o centro de naturopatia e o de ayurveda e agendamos tratamentos para o dia seguinte. Ali ao lado, o refeitório dos estudantes. Tivemos a oportunidade de experimentar a deliciosa comida deles, sem muito condimento e muito gostosa. Arroz integral, pão, couve flor e um molho de açafrão.

 

 

 

Saindo de kaivaladhama, fomos para o Instituto de Lonavla, onde fomos recebidos pelo Manmat Gharote, filho de Manohar Laxman Gharote. O Instituto é reconhecido pela universidade de pune como instituto para pesquisas e desenvolvimento do yoga.

 

 

Infelizmente hoje, yoga tem sido considerado apenas no campo fisico. Mas a tradição envolve: fisico, mental, emocional, social e espiritual. Yoga deve ser usado para integração de todos estes segmentos. Através do corpo, treinamos para algo além do corpo. Para entender todos estes aspectos, precisamos da literatura antiga e é isso que eles possuem no instituto.

 

 

Fazem uma coletânea de todos estes antigos manuscritos de todas as partes do mundo. Tem hoje em média 2700 manuscritos. Esta Literatura é importante para entender o yoga antigo, suas bases, raízes e verdades. Quando praticamos um asana, qual a referencia que temos!? Onde isso teve inicio? Por isso elaboraram o livro enciclopédia do yoga, que eu adquiri é claro. A enciclopédia descreve em média 900 ásanas.

 

O trabalho do instituto será agrupar todos os textos já publicados, através de todos os manuscritos encontrados e publicar tudo em um só livro. Filosofia: Ganhar dinheiro é fácil, mas trabalhar por uma causa é diferente. Eles querem difundir este conhecimento e as mensagens milenares do yoga e por isso, sempre que pedirmos para eles referências literárias, eles irão mandar xeróx para nós darmos continuidade ao trabalho. Achei de grande valor e importância esta causa pela qual travalham. Assim, poderemos ter acesso ainda por muitas gerações à toda a filosofia do Yoga.

O instituto publica novas traduções todo dia 17 de janeiro, aniversario de morte de gharote filho. E é exatamente quando acontece o congresso internacional em lonavla, do qual eu vou participar e contar tudo pra vocês!!

 

 

 

 

Voltamos para o Ashram a noite e fizemos uma prática maravilhosa de yoga com um indiano, que foi uma excelente experiência. Para fechar o dia com chave de ouro, uma meditação de 01 hora e meia com o mestre Bhogal, que foi extremamente restauradora e completa.

 

 


 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


por Simone Las Casas

 

Primeiro peço desculpas por ter demorado um pouco para voltar depois do reveillon. Na verdade, fiquei um bom tempo ainda encantada com Rishikesh e depois tive una pequenos probleminhas com as postagens, mas agora voltei com muitas novidades pra vocês.

 

 

No caminho de Delhi para Agra, passamos por Matura, a cidade onde krishna nasceu. Também passamos por Vadrivam, onde krishna viveu e cresceu. Krishna significa negro ou escuro, em sânscrito, que é um idioma indiano. É uma deusa personificada do hinduismo, a representante das manifestações de Deus Supremo no mundo, segundo a tradição hindu. Krishna também significa verdade absoluta, para os hindus. De acordo com os hindus, Krishna é o oitavo avatar de Vishnu, ou seja, é considerado um Deus, a Suprema Personalidade. Krishna aparece em várias tradições hindus, sempre falando de uma encarnação divina, inclusive várias religiões acabaram surgindo com o Krishna, como a chamada Hare Krishna.

 

 

Por este motivo, são cidades que tem muitos templos e também o templo sede da filosofia Hare krishna. Não vimos muito das cidades, mas achei muito interessante a história e importância espiritual. O Movimento Hare Krishna está inserido na mais antiga tradição religiosa de que se tem conhecimento. Ele é a própria religião Vaishnava (tradição monoteísta com milhões de seguidores na Índia e no Ocidente; cultiva a devoção a Krishna ou Vishnu).

 

 

 

Deixamos as coisas no hotel e fomos para o grande e tão esperado Taj Mahal, que é um monumento islâmico, que faz parte da dinastia mughal. Sua construção está voltada para o sul e Rio yamuna, também muito importante na índia, passa por atras do Taj. Eles também construíram uma mesquita de um dos lados, que esta voltada para oeste, direção na qual reverencial Alah. Do outro lado do taj tem outra construção simétrica à mesquita, mas não é uma mesquita, porque não esta voltada para oeste e sim, apenas uma construção maravilhosa.

 

 

É realmente impressionante a imponência do monumento. Achei fantástico conhecer uma coisa que tanto vi por fotos e na televisão e agora ali, diante da minha frente!! Mas de fato, o monumento perde um pouco do seu romantismo tendo em vista as muitas pessoas que se aglomeram em torno dele.

 

 

A história da construção do Taj é fantástica e muito romântica, assim como tem sido muito interessante pra mim conhecer e entender um pouco melhor sobre o universo da índia. Resumidamente, é considerado o monumento mais romântico da história, construído para abrigar as cinzas da mulher de Shah Jahan, que morreu no parto dando a luz a seu 14 filho.

 

 

Depois do taj, fomos no agra forte, onde shah jahan ficou preso. De la, pudemos ver uma vista linda do taj, a mesma que ele morreu olhando, aos 70 anos preso pelo próprio filho.

 

 

 

Já no dia seguinte, saimos para Jaipur cedo e no caminho passamos pela cidade Fatehpur Sikri. Visitamos a cidade que foi toda construída pelo imperador Akbar em pedra arenosa vermelha. Do lado de fora do forte que existe na cidade, uma Mesquita enorme e impressionante, com uma porta enorme de 72,5 metros de altura.

 

 

 

Em jaipur, fomos direto visitar o templo hindu. Fiquei apaixonada em ver aquele lindo monumento, todo de mármore construído em 1882, que abriga Deuses mitológicos e de profundo significado para os indianos e também para mim. Me senti a mesma criança que frequentava a igreja católica todos os domingos, orando e agradecendo pela vida.

 

 

Nos templos hindus, acontecem as vezes 08 cerimônias por dia, que são sempre iguais. Nas cerimônias, eles usam um candelábrio para purificar as pessoas através do fogo. E depois, jogam um pouco de água em todos para acabar a limpeza. Debaixo da cúpula é onde acontecem as meditações. Saí de lá encantada com tanta beleza e significado.

 

 

 

 

No dia seguinte em jaipur, visitamos o forte amer que fica em old jaipur. A subida foi muito exótica no lombo de um elefante. Neste forte, existem mais ou menos uns 100 elefantes que fazem o trajeto algumas vezes por dia carregando o condutores e mais 02 pessoas. São animais tranquilos e muito fortes e treinados para esta função apesar de não estarem 100% em seu ambiente natural. Apreciei muito a beleza da construção desse forte.

 

 

 

 

Ainda neste dia, fizemos uma visita à fabrica de tapetes e amei ver a confecção de algumas peças. Na verdade, apaixonei por um tapete e até comprei para a casa nova. Achei muito bom o fato de eles entregarem em sua casa no Brasil. Vimos também como fazem as lindas estampas dos lenços de seda, saris e chales. Encantador.

 

 

E para completar e fechar com chave de ouro, descemos no mercado local em Jaipur. Os mercados daqui são quase sempre lojas na beira da rua, muitas lojas vendendo coisas similares. O artesanato local é maravilhoso para quem curte lindas coisas indianas como eu e ficamos realmente enlouquecidas escolhendo bolsas, sandálias e lindas capas de almofadas. Voltamos pra casa com muita alegria por ter tido um dia tão diferente e também muitas sacolas.




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Sempre passei viradas de ano bem agitadas, geralmente em grandes festas e com muitos amigos e champagne. Mas esta foi totalmente diferente e confesso que sempre desejei um réveillon como este. Surpreendeu e muito as minhas expectativas e senti uma profunda gratidão pelo ano de 2013 e uma conexão ainda maior com 2014.

 

 
Quando fechei a viagem para Índia, não tinha idéia de como seria o dia 31 e não poderia ter sido melhor. Passamos um lindo dia em Rishikesh e as 17:00, fomos para o ritual no Ashram à beira do Ganges que acontece todos os dias. Compramos umas oferendas com flores e incenso e nós sentamos às margens do rio assistindo ao ritual, que neste dia, foi mais que especial.

 


Os mais jovens do Ashram dançaram e cantaram mantras, e depois encerraram com um lindo ritual de fogo. Uma mestra espiritual pegou o microfone e passou mensagens bem profundas sobre nossa existência e sobre o caminho que estamos dando para nossas vidas. Me emocionei
bastante.

 


Muitas pessoas pensam que vão dormir e acordar diferentes no outro ano, com seus desejos realizados. Pedem novo emprego, novo relacionamento, uma nova vida. Mas não se dão conta de que devem pedir de fato uma transformação para si mesmas, pois é isso que fará a diferença nas escolhas e caminhos individuais.

 



Outros pensam que são o centro de tudo e que todo o universo gira em torno de si. Quando, na verdade, devemos ser humildes e nos inspirar no sol, que é o centro de tudo, o criador da vida e que gera toda a LUZ do mundo. Assim, saberemos que fazemos parte e estamos em torno de algo bem maior, com infindáveis oportunidades à nossa volta e que viemos aqui para espalhar esta LUZ. Qual é o propósito da sua luz aqui na terra?

No momento de entregar minha oferenda ao Ganges, não tive dúvidas. Entreguei a minha vida! Para que eu seja um canal de Deus, do universo, luz divina ou como quiser nomear em sua crença. Para que eu possa me doar a todos que estão à minha volta e ser um raio dessa LUZ tão brilhante e forte que guia nossas vidas.

 

 

Jantamos no hotel uma deliciosa culinária vegetariana indiana e fomos para o Ashram do Prem Baba, pois havíamos sido convidados para o satsanga quando visitamos o local no dia anterior. Satsanga é ficar em companhia de pessoas que possuem o conhecimento claro de sua própria natureza absoluta, ou daquelas que buscam esse mesmo conhecimento. Sanga significa associação, sat significa a verdade, tanto a nível relativo, como falar o que é correto, como a verdade absoluta revelada nos Vedas. O momento do encontro pode ser acompanhado de conversas na forma de perguntas/respostas ou canções devocionais cantadas em conjunto.

Sri Prem baba é um Guru espiritual brasileiro, um líder humanitário e mestre espiritual da antiga linhagem Sachcha que está a serviço da transformação planetária e da paz global, trabalhando através do exercício do amor e da compaixão para restabelecer e elevar os valores humanos, espirituais e sociais. Ele nasceu no Brasil onde passa alguns meses do ano e onde construiu o Sachcha Mission Ashram (Nazaré Paulista, São Paulo), e divide o restante do tempo entre o Sachcha Dham Ashram em Rishikesh (Índia). Seu trabalho é construir pontes: entre ocidente e oriente, entre ciência e religião, psicologia e espiritualidade e entre os diversos saberes com o propósito de criar união. Para isso, ele desenvolveu um método de autoconhecimento chamado Caminho do Coração.


A noite foi encantadora, exatamente como eu tinha visto em alguns Dvd`s de mantras que tenho. Sempre que vou a estes encontros, parece que nasci na Índia, pois não tem explicação o quanto eu adoro cantar os mantras, que é uma vibração sonora que usamos na maioria das vezes na meditação, mas podemos usar independente dela também. Man, em sânscrito quer dizer mente, e Tra quer dizer liberação. Portanto, mantra quer dizer literalmente liberação da mente. O mantra é uma vibração sonora que, quando emitido corretamente, exerce um efeito poderoso em nosso corpo e nossa mente.

 


Como Prem baba nasceu no Brasil, tinham muitos seguidores deles brasileiros e muitos estrangeiros também. E me senti ainda mais perto de casa quando ele começou a falar em português com tradução simultânea para inglês. Passou mensagens maravilhosas e muitas
reflexões em relação ao lugar no qual você está colocando sua vida. Nos inspirou muito e trazer a responsabilidade das nossas vidas para nós mesmos, sem nos colocarmos na posição de vítima e cada palavra que ele disse estava cheia de significado.

 



Nos intervalos do seu discurso, mantras maravilhosos e lindas músicas devocionais cantadas em português e inglês. Fomos convidados a passar a virada em silêncio, meditando. Pra mim não poderia ter sido mais especial, pois é exatamente o que estou buscando nesta jornada...trazer a minha essência através do aquietamento e do silêncio. Feliz 2014!!!

Minha estrela guia
Que desfaz a escuridão
Brilha, brilha intensamente
Dentro do meu coração

Onde existe Luz
não pode haver escuridão
Ilumina meu caminho
E me proteja contra o mau.



TAGS:


COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


por Simone Las Casas

 

A capital mundial do yoga surpreendeu minhas expectativas. Já na chegada, me toquei o quanto aquele lugar era especial para mim e quantos anos passei vivendo intensamente algumas experiências na teoria, mas sem realmente visualizar, conhecer bem de perto as bases e raízes de tudo aquilo em que eu acredito e prático.

 

 

Saímos de Delhi bem cedo para a estação de trem e pegamos aproximadamente 04 horas de viagem até Haridwar. Nesta cidade acontece o maior festival religioso do mundo em número de pessoas, o festival Kumbh Mela. Passamos pela maior estátua de Shiva da Índia, muito imponente e representando um olhar penetrante.

 

 

 

De lá, um ônibus nos levou para Rishikesk em 01 hora. O primeiro dia foi de reconhecimento e sim, já fique encantada. Gosto muito de cidades menores, principalmente uma tão charmosa rodeando o Ganges. Caminhamos a pé por um comércio inspirador, com muitas imagens de Deuses, CDs e livros que remetem a Yoga. Fechamos o dia com um ritual no Ashram, às margens do Ganges, observando o por do sol perfeito ao longe, o que assentou ainda mais a minha percepção sobre o objetivo desta viagem.

 

 

 

Ashrams são locais onde as pessoas se dedicam ao caminho espiritual. Muitos indianos moram nestes locais se dedicando ao yoga e à meditação, seguindo a filosofia de acordo com linhagem do Guru ou Swami que coordena aquele Ashram. E no segundo dia, visitamos vários deles espalhados por Rishikesh. Fizemos uma prática de yoga no hotel cedo antes de sair e caminhamos por quase toda a cidade, parando para conhecer estes lugares e também alguns templos sagrados. Logo no início da caminhada encontramos uma espécie de procissão indiana. Fomos convidadas à participar pelas lindas mulheres que dançavam e cantavam e nos cobriram de cores, deixando a marca tradicional delas em nossa testa.

 

 


Foi muito especial para mim ver a rotina que os Ashrams seguem. É exatamente a mesma rotina que vivo quando estou em alguns cursos de aprofundamento espiritual que geram uma profunda transformação, principalmente o instituto visão futuro, coordenado pela Susan Andrews. Despertar as 04:30, meditação, prática de ásanas, palestras ou estudos almoço, palestras, prática de ásanas, meditação e jantar.

 

 

 

 

Nestas visitas, tivemos a oportunidade de ver as salas de meditação, bibliotecas e estruturas internas dos Ashrams. Passamos também por uma caverna onde meditou um grande mestre espiritual por longo tempo e pudemos sentir a vibração do local à beira do Rio. Meditamos ali o um tempo e seguimos a caminhada, impressionada com os macacos que estão por toda parte esperando ver uma sacola de plástico para avançar e tomar da sua mão. Eles ficam o tempo todo alertos aguardando a oportunidade de pegar sua comida.

 

 

 

 

Almoçamos e voltamos para o hotel para a experiência da tarde, que foi incrível. De ônibus, subimos pela encosta da montanha aproximadamente meia hora. Descemos em um ponto alto para continuar a trilha a pé. O objetivo? Chegar no Shri kunjapuri templo no topo da montanha, literalmente aos pés dos himalaias. A vista era sensacional durante a trilha de 03 km e chegamos no templo alguns minutos de um dos pôr do sol mais bonitos que já presenciei. Momento perfeito para se interiorizar ainda mais e preparar para o último dia do ano. O sol, um dos objetos que uso como foco para a meditação diária, em sua forma perfeita. Uma esfera brilhante de contornos bem definidos e uma luz intensa. Aproveitei para contemplar e fixar bem esta imagem na minha mente para que eu dê este objeto de concentração a ela quando sentar para meditar.


No último dia do ano e em Rishikesh, tínhamos apenas um objetivo. Mergulhar nas águas do Ganges, o rio sagrado que tem tanta história e traz muitas bênçãos. Alguns hindus acreditam que uma vida não é completa sem um mergulho no Ganges pelo menos uma vez na vida. Muitas famílias hindus conservam um frasco com água do rio em suas casas, hábito que é considerado prestigioso, para que pessoas à beira da morte possam beber de sua água; muitos hindus acreditam que o Ganges pode limpar uma pessoa de todos os seus pecados, e poderia até mesmo curar a doença.

 


A visita as ruínas do Ashram do Mararishi Maresh foi inspiradora. Quando vieram para cá, os Beatles moraram neste Ashram por 02 meses e compuseram cerca de 33 músicas, inspirados pelo Ganges. Criador da Meditação Transcendental, técnica que usa mantras para atingir um estado chamado vigilância tranquila, Maharishi já era conhecido internacionalmente antes de ser o tutor do quarteto mais famoso de todos os tempos. Mas quando os Beatles entraram no Ashram do guru eles certamente elevaram a fama do Maharishi e por tabela ampliaram o tipo de turismo que até hoje move Rishikesh: o de ocidentais em busca da espiritualidade. Não conseguimos entrar por estar trancado, mas pudemos ver as instalações por fora dos muros e já valeu a viagem.
Sem palavras para descrever o quanto foi perfeito o mergulho nas águas geladas do Ganges. Procuramos um local mais reservado nesta praia fluvial, mas logo chegaram vários indianos curiosos com a novidade. Por mais que estivéssemos bem vestidas, éramos 03 mulheres brasileiras tirando fotos na beira do Rio e entrando para um mergulho restaurador. E foi um momento maravilhoso, inesquecível!!

 

Aproveitei depois para ir à procura do tão esperado sino tibetano. Os sinos de mão, ou tingshas, são usados para “limpar” o ambiente e “pacificar o espírito". A vibração do sino é intensa e podemos harmonizar a nossa vibração interior com a vibração relaxante do sino. No momento em que o sino toca, nossas mentes se tornam um com o Som. O sentido da audição se torna uma ponte para interiorizar a nossa mente e propicia o desenvolvimento da concentração que propicia a entrada em estágios meditativos. Fiquei muito feliz com esta compra, pois estava há muito tempo procurando este instrumento. Toquei ele algumas vezes para me preparar para a passagem do ano, que foi muito especial e diferente de tudo que eu já tinha vivido. Aguardem o próximo post!!




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


por Simone Las Casas

 

A chegada em Delhi foi um tanto quanto diferente. Fui recebida com um colar de flores lindo pelo transfer que me pegou no aeroporto. Acostumar com paisagem simples, as vezes pobre da Índia e também com o buzinasso constante foi meu maior desafio. Confesso que o choque de realidade já aconteceu neste primeiro momento, após sair do chiquérrimo aeroporto e Dubai e chegar em Delhi.

 

 

Cheguei no hotel com duas noites quase que sem dormir, tomei um bom banho e já fomos para a rua para uma bela caminhada. O primeiro dia foi de adaptação e bem agitado. Visitamos um museu arqueológico e fiquei encantada com as pequenas esculturas de barro super antigas
mostrando ásanas de yoga.

 

 

 

 

Depois, entramos no lindo templo sikh chamado kurudvara. Sikhismo são adeptos que representam 2% da população da Índia. A Índia tem 1000 milhões de habitantes ( acreditam? ) e 04 religiões principais. Porordem de adeptos, temos o hinduísmo, islamismo ou muçulmanos, sikismos e cristianismo. Deixamos os sapatos na entrada e senti muito respeito e devoção dos visitantes. Os sikis não cortam cabelo nunca por acreditarem que a energia durante a meditação e protegida através dos longos cabelos e também do turbante.

 


O ponto alto do dia foram as ruas do comércio de Delhi. Quantas cores, variedades, roupas e comida sendo vendidas na mesma barraca, um show de coisas lindas e muito baratas. Uma roupa bordada indiana, calça e vestido por R$6,00, inacreditável. Eu estava bem cansada, mas me diverti com as ruelas cheias e o mundo de possibilidades e experiências que estavam se abrindo já neste momento.

 

 

Na manhã seguinte, a prática de yoga com o professor Gerson selou o início da viagem de uma forma muito especial. Uma conexão profunda se estabeleceu e a intenção de me entregar de corpo e mente a esta experiência se firmou ainda mais. Foi o dia do Tour pelos monumentos
espetaculares de Delhi.

 

 

 

 

A mesquita jama maskid, maior mesquita muçulmana da Índia, foi encantadora. Mas não mais interessante que as ruas ao redor da mesquita, o mercado Chandi Chowk, muito cheio e envolvente. Fizemos o passeio de bicitaxi, pois era impossível transitar a pé pelas ruas e valeu 100% a experiência. Mas foi uma pena não descermos para as comprinhas, pois passamos por um comércio maravilhoso, com fitas belíssimas e saris maravilhosos.

 

 

 

De lá para o Mausoléo do imperador Hamayun, segundo rei da Índia. Lindíssimo e importante monumento da arquitetura mongol construído pela sua mulher. Construído um século antes do Taj Mahal, demorou 20 anos para ser acabado. O Taj é cópia deste lindo monumento em alguns
aspectos. Achei de uma belezampressionante.

 

 

 

 

Para fechar com chave de ouro, visita ao complexo Qutab Minar. Este sim, o monumento tão importante quanto o Taj Mahal em Delhi. No local, haviam 27 templos hinduístas e budistas que foram destruídos no século 12 pelos muçulmanos, que construíram a primeira mesquita de Delhi.

 

 

 

 

Quanta coisa em apenas 02 dias não?! Parece que já estou aqui há bastante tempo, mas é apenas o início. Amanhã, Rishikesh.




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


por Simone Las Casas

 

Estou começando a esvaziar minha mente e me preparar para este mês de viagens. Mesmo não sendo tanto tempo, acredito que será uma experiência transformadora. É muito interessante perceber como cada um é diferente neste mundo. Igualmente interessante é realizar que todos somos um. E o que importa não é de onde você veio, mas sim, a pessoa que escolheu ser.

 

 

A viagem é um pouco cansativa. Sai do Brasil as 02:00 da manhã e cheguei em Dubai as 21:30 da noite. Aí, voo para Delhi só as 04:30 da manhã novamente, o que significa que meu sono não sabe mais que horas são. O aeroporto de Dubai é um dos mais impressionantes que já conheci, com muitas lojas lindas e pessoas do mundo inteiro. Amei ficar sentada reparando os costumes, línguas e roupas de todos que passavam por mim enquanto eu estava na leitura frenética de "O Sari Vermelho", um romance fascinante que conta a história da Índia.

 

 

Mas minha mão já estava doida para escrever um pouco e minha mente precisava organizar as idéias e pensar no que está viagem realmente significa pra mim. E sempre faço isso colocando no papel (agora, no iPad). Adoro colocar meus sentimentos para fora escrevendo, pois é uma excelente terapia para nós mesmos quando ouvimos nosso pensamentos.

 

 

 

Embarcando para a viagem dos meus sonhos, acho que desde de os 16 anos mais ou menos. Tentando não criar expectativas, mas já imaginando a variedade de emoções e sentimentos que terei com esta experiência. Eu amo sair da zona de conforto, mas confesso que senti um friozinho na barriga quando embarquei sozinha para o outro lado do mundo. Mas a alegria pela oportunidade de conhecer esta cultura e costumes sempre falou mais alto.

 

 

Para vocês que irão me acompanhar por aqui, contarei esta viagem em forma de diário, como se estivesse escrevendo para mim mesma como sempre fiz quando viajo. Para contar sobre uma experiência, preciso senti-la profundamente e estar inteira no momento presente. Principalmente em se tratando de um local com tanto significado espiritual, que é o que estou buscando. Portanto, cada foto ou cada palavra estará carregada de sentimento e significado, que é a essência do que vou ver e quero compartilhar com vocês!!

 

 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Adepta a hábitos saudáveis de alimentação e atividades esportivas, desde os 18 anos pratico Yoga e cursos na área de saúde, bem estar e terapias holísticas, com a finalidade de aprimorar minhas técnicas e meu trabalho. Tornei-me consultora em Spa´s pela “Expertise Spa Consulting” em 2011 e, desde então, não faço outra coisa senão me envolver cada vez mais nesta área.

 


A paixão por Spas, minha fascinação desde os 15 anos de idade, me leva a lugares fantásticos que tenho visitado cada vez com mais frequência. Seja através dos Spa´s aos quais presto consultoria ou através dos convites que recebo dos melhores Spa´s do mundo. Experimento situações únicas e completas, que agregam muito ao meu trabalho e me tornam cada vez mais entendida do assunto.

 


Através do” With You”, tenho a oportunidade de compartilhar em detalhes o que é exatamente o "bem-estar" que as pessoas tanto almejam hoje em dia, buscando qualidade de vida, ou apenas relaxamento. A ideia é sempre estar bem. E minha vida hoje é totalmente baseada em situações, vivências e aprendizados que traduzem bastante o que é o conceito SPA, tão abrangente na "sociedade mundo moderno".

 



Daí surgiu a oportunidade desta viagem maravilhosa em busca dos melhores Spa´s na Índia e em Bali, na Indonésia. Enviei alguns e-mails dizendo sobre o trabalho que realizo através da Expetise Spa Consulting e fui surpreendida quando recebi respostas positivas, convidando- me para visitar os estabelecimentos.

 


Na Índia, pretendo visitar hospitais ayurvédicos e centros de cura da milenar medicina indiana, o Ayurveda. Isso irá complementar, e muito, o trabalho que eu e Renata de Abreu estamos realizando nos Spa’s que contam com a consultoria da Expertise Spa Consulting. Renata está se formando no Deepack Chopra Center na Califórnia para trazer para o Brasil o que há de mais abrangente e atual em se tratando de Ayurveda.

 


Após esta “temporada” na Índia, programei a extensão da viagem até Bali, onde irei visitar os melhores Resort’s e Spa’s do mundo, na minha opinião. Digo isso, pois acredito que não há nada mais restaurador para nossa saúde integral do que a junção da tradição oriental com a natureza belíssima de um lugar como Bali. Imaginem como será depois, juntar todos estes conhecimentos e aplicá-los usando a exuberância da natureza em nosso Brasil tropical!!!

 

 

Assim, convido vocês a acompanharem comigo esta viagem. Lugares incríveis, praia, templos, restaurantes e lindos Spa´s. Assim, poderemos desfrutar juntos as experiências maravilhosas dessa jornada, um caminho de autoconhecimento, crescimento espiritual e profissional.
 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*




 

Quem disse que eu acho fácil arrumar as malas?! Não, para mim não é nada fácil. Quando me tornei consultora pela Expertise Spa Consulting até que ficou um pouco mais tranquilo, tendo em vista as inúmeras viagens que fiz para visitar os Spa’s. Hoje, consigo arrumar uma mala bem mais leve com umas 02 horas em média. Mas para esta jornada na índia e em Bali, já tem 15 dias que estou me preparando e as malas ainda não estão fechadas. Acreditam? Pois é!!

 

 

 

Então, claro que pedi os conselhos da queria amiga e consultora de estilo Carol Bagno, da Closet 15. A Closet mudou de endereço e está em uma sala provisória linda na Alameda do Ingá, 840, sala 709 com tudo a preço de custo. Enquanto a Carol me vestia e selecionava algumas peças, fiquei encantada com a vista da janela, já completamente no clima da viagem.

 

 

Escolhemos primeiros alguns looks para o avião e as viagens internas.

 

Depois, o look básico para os passeios na Índia, saia longa e blusa com manga. Aproveitei para ver como o visual vai ficar nas fotos, que vou tirar lá para contar tudo pra vocês!

 

 

Daí, passamos para o estilo Bali, que eu mais amo. Um look social para visitar os Spa’s que me convidaram para escrever sobre os Melhores de Bali.

 

E um look passeio na natureza exuberante de Bali

 

 

 

Tem também lindos presentes para o Natal e tudo a preço de custo!! A closet estará aberta hoje e segunda de 12:00 as 19:00 e no sábado de 10:00 as 14:00. Se ainda estiver faltando aquela peça para sua mala, liga para Carol 92246197. 




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


About Me


Simone Las Casas tem 28 anos é formada em direito e pós graduada em gestão de negócios. Movida pela paixão por Spa's hoje é consultora na empresa Expertise Spa Consulting.

SEARCH

hey!... Least 3 characters.

INSTAGRAM


PINTEREST