por Simone Las Casas

 

A capital mundial do yoga surpreendeu minhas expectativas. Já na chegada, me toquei o quanto aquele lugar era especial para mim e quantos anos passei vivendo intensamente algumas experiências na teoria, mas sem realmente visualizar, conhecer bem de perto as bases e raízes de tudo aquilo em que eu acredito e prático.

 

 

Saímos de Delhi bem cedo para a estação de trem e pegamos aproximadamente 04 horas de viagem até Haridwar. Nesta cidade acontece o maior festival religioso do mundo em número de pessoas, o festival Kumbh Mela. Passamos pela maior estátua de Shiva da Índia, muito imponente e representando um olhar penetrante.

 

 

 

De lá, um ônibus nos levou para Rishikesk em 01 hora. O primeiro dia foi de reconhecimento e sim, já fique encantada. Gosto muito de cidades menores, principalmente uma tão charmosa rodeando o Ganges. Caminhamos a pé por um comércio inspirador, com muitas imagens de Deuses, CDs e livros que remetem a Yoga. Fechamos o dia com um ritual no Ashram, às margens do Ganges, observando o por do sol perfeito ao longe, o que assentou ainda mais a minha percepção sobre o objetivo desta viagem.

 

 

 

Ashrams são locais onde as pessoas se dedicam ao caminho espiritual. Muitos indianos moram nestes locais se dedicando ao yoga e à meditação, seguindo a filosofia de acordo com linhagem do Guru ou Swami que coordena aquele Ashram. E no segundo dia, visitamos vários deles espalhados por Rishikesh. Fizemos uma prática de yoga no hotel cedo antes de sair e caminhamos por quase toda a cidade, parando para conhecer estes lugares e também alguns templos sagrados. Logo no início da caminhada encontramos uma espécie de procissão indiana. Fomos convidadas à participar pelas lindas mulheres que dançavam e cantavam e nos cobriram de cores, deixando a marca tradicional delas em nossa testa.

 

 


Foi muito especial para mim ver a rotina que os Ashrams seguem. É exatamente a mesma rotina que vivo quando estou em alguns cursos de aprofundamento espiritual que geram uma profunda transformação, principalmente o instituto visão futuro, coordenado pela Susan Andrews. Despertar as 04:30, meditação, prática de ásanas, palestras ou estudos almoço, palestras, prática de ásanas, meditação e jantar.

 

 

 

 

Nestas visitas, tivemos a oportunidade de ver as salas de meditação, bibliotecas e estruturas internas dos Ashrams. Passamos também por uma caverna onde meditou um grande mestre espiritual por longo tempo e pudemos sentir a vibração do local à beira do Rio. Meditamos ali o um tempo e seguimos a caminhada, impressionada com os macacos que estão por toda parte esperando ver uma sacola de plástico para avançar e tomar da sua mão. Eles ficam o tempo todo alertos aguardando a oportunidade de pegar sua comida.

 

 

 

 

Almoçamos e voltamos para o hotel para a experiência da tarde, que foi incrível. De ônibus, subimos pela encosta da montanha aproximadamente meia hora. Descemos em um ponto alto para continuar a trilha a pé. O objetivo? Chegar no Shri kunjapuri templo no topo da montanha, literalmente aos pés dos himalaias. A vista era sensacional durante a trilha de 03 km e chegamos no templo alguns minutos de um dos pôr do sol mais bonitos que já presenciei. Momento perfeito para se interiorizar ainda mais e preparar para o último dia do ano. O sol, um dos objetos que uso como foco para a meditação diária, em sua forma perfeita. Uma esfera brilhante de contornos bem definidos e uma luz intensa. Aproveitei para contemplar e fixar bem esta imagem na minha mente para que eu dê este objeto de concentração a ela quando sentar para meditar.


No último dia do ano e em Rishikesh, tínhamos apenas um objetivo. Mergulhar nas águas do Ganges, o rio sagrado que tem tanta história e traz muitas bênçãos. Alguns hindus acreditam que uma vida não é completa sem um mergulho no Ganges pelo menos uma vez na vida. Muitas famílias hindus conservam um frasco com água do rio em suas casas, hábito que é considerado prestigioso, para que pessoas à beira da morte possam beber de sua água; muitos hindus acreditam que o Ganges pode limpar uma pessoa de todos os seus pecados, e poderia até mesmo curar a doença.

 


A visita as ruínas do Ashram do Mararishi Maresh foi inspiradora. Quando vieram para cá, os Beatles moraram neste Ashram por 02 meses e compuseram cerca de 33 músicas, inspirados pelo Ganges. Criador da Meditação Transcendental, técnica que usa mantras para atingir um estado chamado vigilância tranquila, Maharishi já era conhecido internacionalmente antes de ser o tutor do quarteto mais famoso de todos os tempos. Mas quando os Beatles entraram no Ashram do guru eles certamente elevaram a fama do Maharishi e por tabela ampliaram o tipo de turismo que até hoje move Rishikesh: o de ocidentais em busca da espiritualidade. Não conseguimos entrar por estar trancado, mas pudemos ver as instalações por fora dos muros e já valeu a viagem.
Sem palavras para descrever o quanto foi perfeito o mergulho nas águas geladas do Ganges. Procuramos um local mais reservado nesta praia fluvial, mas logo chegaram vários indianos curiosos com a novidade. Por mais que estivéssemos bem vestidas, éramos 03 mulheres brasileiras tirando fotos na beira do Rio e entrando para um mergulho restaurador. E foi um momento maravilhoso, inesquecível!!

 

Aproveitei depois para ir à procura do tão esperado sino tibetano. Os sinos de mão, ou tingshas, são usados para “limpar” o ambiente e “pacificar o espírito". A vibração do sino é intensa e podemos harmonizar a nossa vibração interior com a vibração relaxante do sino. No momento em que o sino toca, nossas mentes se tornam um com o Som. O sentido da audição se torna uma ponte para interiorizar a nossa mente e propicia o desenvolvimento da concentração que propicia a entrada em estágios meditativos. Fiquei muito feliz com esta compra, pois estava há muito tempo procurando este instrumento. Toquei ele algumas vezes para me preparar para a passagem do ano, que foi muito especial e diferente de tudo que eu já tinha vivido. Aguardem o próximo post!!




COMENTÁRIOS
Nome completo*
Comentário*
E-mail*


About Me


Simone Las Casas tem 28 anos é formada em direito e pós graduada em gestão de negócios. Movida pela paixão por Spa's hoje é consultora na empresa Expertise Spa Consulting.

SEARCH

hey!... Least 3 characters.

INSTAGRAM


PINTEREST